21 Jul

MITICA ESTRADA NACIONAL N2 – PORTUGAL

 

ROTEIRO COMPLETO DA N2

ESTRADA NACIONAL 2 (EN2) –PORTUGAL

 

Portugal encontra-se dividido administrativamente em 18 distritos, mais 2 regiões autónomas que formam os arquipélagos dos Açores e Madeira.     

O país apresenta uma paisagem diversificada, das planícies alentejanas até ás praias, das principais cidades de distrito até ás aldeias históricas, aos monumentos nacionais, aos parques naturais, à gastronomia e ás tradições de cada região.

As tradições de Portugal são uma herança de bens, costumes e tradições do País com séculos de história.

Civilizações que povoaram o território, dos fenícios aos romanos, dos mouros às novas gerações, do oceano que nos alimenta e nos conduziu aos descobrimentos e ao intercâmbio com culturas de todo o mundo, do solo fértil ao clima ameno que nos tempera, a tradição portuguesa é um património para o mundo.

 

EN2- Rota da Estrada Nacional nº2- Portugal

 

A Estrada Nacional nº 2 atravessa Portugal de Norte a Sul e é a estrada de maior extensão do país, tendo o seu início em Chaves (Km 0) e terminando em Faro (Km 738,5), passando por 11 distritos (Vila Real, Viseu, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém, Portalegre, Évora, Setúbal, Beja e Faro), 8 províncias (Trás-os-Montes e Alto Douro, Beira Alta, Beira Litoral, Beira Baixa, Ribatejo, Alto Alentejo, Baixo Alentejo e Algarve), 4 serras, 11 rios e 32 concelhos.

 

Rota da Estrada Nacional nº2 (EN2)- Portugal

 

A EN 2 (ou simplesmente N2) – Estrada de Portugal é uma estrada nacional que integra a rede nacional de estradas de Portugal, ligando Faro a Chaves. É a terceira estrada mais extensa do mundo, com 738,5 km, logo a seguir à rota 66 dos Estados Unidos e à rota 40 da Argentina.

Estrada Nacional N2- Portugal

Casa do Cantoneiro- EN2- Vila Real

 

HISTÓRIA

O troço da EN2 confunde-se com a própria história, sendo que muitos segmentos já eram as principais vias romanas que atravessavam a Lusitânia.

Com o passar do tempo, as principais vias foram sendo melhoradas e ligadas umas às outras e até ao final do séc. XIX, grande parte daquela que é hoje a EN2 já era Estrada Real.

Em 1884, o percurso de Faro a Castro Verde passa a designar-se Estrada Distrital nº 128.

Com a implantação da república a estrada chega a Beja e ganha o título de Estrada Nacional nº 17, passando a chamar-se mais tarde a Estrada Nacional nº 19.

Um dos grandes projectos do Estado Novo era a criação de uma estrada que ligasse o país de lés a lés pelo centro, e a partir de 1930 começaram a ser alcatroados os troços de pedra e de terra e construídas as ligações necessárias, até que em 1945 é classificada a Estrada Nacional nº 2.

O troço que liga Almodôvar a São Brás de Alportel foi, em 2003, classificado como Estrada Património devido ao riquíssimo património que a envolve, fazendo parte da primeira edição em livro das estradas património em Portugal, lançado pelas Infra-estruturas de Portugal.

Na Foz do Dão, Santa Comba Dão, a estrada atravessava a imponente Ponte Salazar que estabelece também os limites dos concelhos de Santa Comba Dão, Penacova e Mortágua, divide os distritos de Coimbra e Viseu e separa a Beira Litoral da Beira Alta, hoje submersa pela Barragem da Aguieira. O trajecto efectua-se actualmente pela ponte resultante do paredão da barragem.

 

EN2- Montemor-o-Novo – Portugal

 

ROTEIRO PARA 9 DIAS

 

DIA 1- Lisboa ou Porto» Chaves

DIA 2- Vidago» Vila Real» Peso da Régua

DIA 3- Lamego» Viseu

DIA 4- Penacova» Góis» Sertã

DIA 5- Constância» Almourol» Abrantes

DIA 6- Ponte de Sor» Montargil

DIA 7- Mora» Montemor-o-Novo» Castro Verde

DIA 8- Loulé» Faro

DIA 9- Faro» Lisboa ou Porto

 

 

DIA 1- LISBOA OU PORTO» CHAVES

 

DISTRITO VILA REAL (CHAVES- VILA REAL- PESO DA RÉGUA)

Distritos de Portugal: Viana do Castelo, Braga, Bragança, Vila Real e Porto

Mapa Norte de Portugal

 

CHAVES

Chaves é uma cidade portuguesa do Distrito de Vila Real, Região Norte, sub-região do Alto Tâmega, com cerca de 18 500 habitantes no seu perímetro urbano, sendo por isso a segunda maior cidade do Distrito de Vila Real.

À época da invasão romana da Península Ibérica, os romanos instalaram-se no vale do rio Tâmega, onde hoje se ergue a cidade e, construíram fortificações pela periferia, aproveitando alguns dos castros existentes.

O auge da dominação romana verificou-se até ao início do Século III, aquando da chegada gradual dos vulgarmente apelidados bárbaros. Eram eles os Suevos, Visigodos e Alanos, provenientes do leste europeu e que puseram termo à colonização romana. As guerras entre Remismundo e Frumário, na disputa do direito ao trono, tiveram como consequência a quase total destruição da cidade, a vitória de Frumário e a prisão de Idácio, notável Bispo de Chaves. O domínio bárbaro durou até que os mouros, oriundos do Norte de África, invadiram a região e venceram Rodrigo, o último monarca visigodo, no início do Século VIII.

Com os árabes, também o islamismo invadiu o espaço ocupado pelo cristianismo, o que causou uma azeda querela religiosa e provocou a fuga das populações residentes para as montanhas a noroeste, com inevitáveis destruições. As escaramuças entre mouros e cristãos duraram até ao século XI. A cidade começou por ser reconquistada aos mouros no século IX, por D. Afonso, rei de Leão que a reconstruiu parcialmente. Porém, logo depois, no primeiro quartel do século X, voltou a cair no poder dos mouros, até que no século XI, D. Afonso III, rei de Leão, a resgatou, mandou reconstruir, povoar e cercar novamente de muralhas. Já aqui prosperava uma importante judiaria,cuja sinagoga se situava num edifício entre a Travessa da Rua Direita,e a Rua 25 de Abril,onde se lê em antiga inscrição na soleira da porta o nome “Salomão”.

 

EN2- KM1- Chaves- Portugal

 

PONTOS DE INTERESSE

Monumentos e Varandas Tradicionais de Chaves

Termas de Chaves

 

EN2- KM0- Igreja de Santa Maria Maior- Chaves- Portugal

 

RESTAURANTES

Adega Faustino- Chaves

A Talha- Chaves

O Forno- EN2- Vilarinho de Samardã

Chaxoila- EN2- Borralha

 

EN2- KM0- Castelo de Chaves- Portugal

 

GASTRONOMIA

Entre os pratos típicos e os produtos gastronómicos de Chaves e do Alto Tâmega podem-se referir o presunto de Chaves e Barroso, o salpicão, as linguiças, as alheiras, a posta barrosã, o cabrito assado ou estufado, o cozido à transmontana, a feijoada à transmontana, os milhos à romana, as trutas recheadas com o famoso presunto de Chaves, os pastéis de Chaves e o folar, uma iguaria à base de massa fofa recheada de carne de porco, presunto, salpicão e linguiça, o pão de centeio, couve penca, batata de Trás-os-Montes, mel e o seu apreciado vinho.

Tanto o presunto como os enchidos são secos e curados ao fumo das lareiras, sendo ingredientes fundamentais para a confecção do Folar de Chaves, especialidade culinária, característica da Páscoa, que é famosa, tal como os pastéis de Chaves, uma especialidade local feita de massa folhada, com carne picada no interior. Os peixes mais típicos são os do rio Tâmega, barbos, escalos, bogas e trutas, sendo estas últimas recheadas habitualmente com presunto. Outros pratos da cozinha regional merecem ser destacados, como o cabrito estufado, a feijoada e o cozido à transmontana, os milhos e as rabanadas.

 

EN2- KM0- Câmara Municipal de Chaves- Portugal

 

HOTÉIS

Forte S. Francisco Hotel- Chaves

Hotel Casino de Chaves- Chaves

Hotel Aquae Flaviae- Chaves

 

FESTAS E ROMARIAS

Festas de Santo António, no dia 13 de Junho em Vila Real

Festa de Nossa Senhora dos Remédios 2º Domingo de Setembro, Lebução

Romaria de Santa Bárbara e Nª Srª do Rosário, nos dias 7, 8 e 9 de Setembro em Sabrosa.

Romaria de Nossa Senhora da Piedade, no 2.º Domingo de Agosto no Santuário de Nossa Senhora da Piedade e em Sanfins do Douro.

Romaria de Nossa Senhora da Boa Morte – Freguesia do Pópulo (Alijó) no 1º Domingo de Setembro

Festas do Senhor Jesus do Outeiro em Favaios (Alijó) no 1º Domingo de Agosto

Romaria de Santa Eufémia e Nossa Senhora das Graças em S. Mamede Ribatua (Alijó), no 1º Domingo de Setembro

Romaria de Nossa Senhora dos Aflitos em Pegarinhos (Alijó), no último Domingo de Agosto

Festas de Santa Maria Maior na Vila de Alijó, no dia 15 de Agosto

Imponente Romaria em honra de Santa Bárbara em Chã (Alijó) no 2º Domingo de Setembro

Festa de Nossa Senhora da Livração (Boticas) em Agosto

Festas de Santo Antonio último domingo de Junho em Vale de Agodim (Alijó)

Festas do Senhor da Capelinha no 2º Domingo de Julho em Vilar Macada (Alijó)

Romaria de Nossa Senhora da Saúde nos dias 7, 8 e 9 de Agosto em S. Lourenço de Ribapinhão (Sabrosa)

Festa de Nossa Senhora da Pena – Freguesia de Mouçós (Vila Real) 2ª e 3ª semanas de Setembro – sexta, sábado, domingo e segunda

Festa em honra de Nossa Senhora das Dores Telões – Vila Pouca de Aguiar – 3º fim de semana de julho

 

EN2- KM0- Tradicionais varandas de Chaves- Portugal

 

DIA 2- VIDAGO» VILA REAL» PESO DA RÉGUA

 

VIDAGO

Vidago está situada a quinze quilómetros de Chaves, sede do concelho a que pertence. Fica na zona sul da circunscrição, sendo atravessada pela estrada nacional nº2. A vila está localizada no fundo de um vale apertado onde confluem o rio Avelames e a Ribeira de Oura, em cujas margens se plantam videiras. Em volta estão as serras do Alvão e da Padrela.

Vidago é ainda conhecido pelas suas águas termais e pelo ex-libris da vila: Vidago-Palace Hotel. As águas de Vidago, muito especialmente as da nascente n.º 1, de uma alcalinidade superior a qualquer água portuguesa, excedem também em alcalinidade a de Vichy. Na Europa só há outra estância, onde se dão injecções de água viva, Uriage (França). Tais injecções são intramusculares, para a cura de eczemas, coriza hidroreica, urticária, bronquites, asma, etc.

 

EN2- Vidago Palace Hotel – Portugal

 

VILA REAL

Vila Real (por vezes dita Vila Real de Trás-os-Montes) é uma cidade portuguesa e capital do Distrito de Vila Real, situada na Região Norte e sub-região do Douro e na antiga província de Trás-os-Montes e Alto Douro, com cerca de 30 000 habitantes no seu perímetro urbano (2012). É capital da província tradicional de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Crescida num planalto situado na confluência dos rios Corgo e Cabril, a cidade está enquadrada numa bela paisagem natural (Escarpas do Corgo), tendo como pano de fundo as serras do Alvão e, mais distante, do Marão. Com mais de setecentos anos de existência, Vila Real foi outrora conhecida como a “Corte de Trás-os-Montes”, devido ao elevado número de casas brasonadas que então tinha.

 

EN2- Vidago- Portugal

 

PESO DA RÉGUA

Aqui foi criada a Companhia Geral das Vinhas do Alto Douro (actual sede do Museu do Douro) em 1756 pelo Marquês de Pombal, tendo este mandado delimitar as vinhas do Vale do Douro com marcos de granito (Marcos de Feitoria), criando a primeira região demarcada e regulamentada do mundo no Douro. Nesta cidade também se localiza a Casa do Douro criada em 1932 como entidade reguladora dos vinhos da região onde, no seu interior, se pode admirar um tríptico de vitrais da autoria do mestre Lino António que retratam a labuta diária da vinha na região duriense.

Poderá observar a deslumbrante paisagem através do miradouro com vistas sobre o Rio Douro – Miradouro de São Leonardo da Galafura.

Rio Douro é o 2º maior rio de Portugal (e o 3º da Península Ibérica), nasce em Espanha a cerca de 2000 metros de altitude na província de Sória nos picos da Serra de Urbião (Sierra de Urbión) e desagua em Portugal junto às cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia.

Em Portugal a região do Rio Douro e dos seus afluentes está dividida em 3 sub-regiões: Douro Superior, Cima Corgo e Baixo Corgo.

 

EN2- Entrada do Palácio de Mateus- Vila Real- Portugal

 

PONTOS DE INTERESSE

Igreja Românica de N. Sra. Conceição- Vidago

Vidago Palace

Palácio de Mateus

Quinta do Zimbro (ou outras similares) – Peso da Régua

Museu do Douro- Régua

 

EN2- Região da Régua- Portugal

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Palmeirim D’ Inglaterra- Faioura- Soc. Vitivinícola, Lda. (Faiões- Chaves)

Head Rock- Estrada Nacional nº2- nº25 (Adega em Vila Pouca de Aguiar)

Caves de Santa Marta de Penaguião (www.quintadosavidagos.com)

H.O.- Horta Osório Wines- Quinta do Pontão- Cumieira (Santa Marta de Penaguião)

Quinta Vale Dornas- Sergude- Godim

Quinta Santa Júlia- Loureiro

Quinta Seara d’ Ordens- Poiares (Peso da Régua)

Quinta do Zimbro- Vilarinho dos Freires (Peso da Régua)

 

EN2- Rota do Vinho do Porto- Vila Real- Portugal

 

RESTAURANTES

Castas e Pratos- Peso da Régua

 

HOTÉIS

Vidago Palace- Vidago

Palácio de Mateus- Vila Real

Hotel Régua Douro- Peso da Régua

Quinta de Arcossó- Vila Real

Hotel Miracorgo- Vila Real

Pedras Salgadas SPA& Nature Park- P.Salgadas

Hotel Régua Douro- Peso da Régua

The Vintage House- Douro-Pinhão

 

APONTAMENTOS DE VIAGEM

Chaves» Vila Real: 61km-1:20h

Vila Real» Peso da Régua: 22km; 0:30’

Palácio Mateus(2km de V.Real)

Vila Real» Viseu (89km; 2h)- diversas curvas

 

DISTRITO DE VISEU (LAMEGO» VISEU)

 

Pousada de Viseu - Portugal

Pousada de Viseu – Portugal

 

DIA 3- LAMEGO» VISEU

 

LAMEGO

Concelho do distrito de Viseu, fica localizado a 116km do Porto e 358km de Lisboa.

Considerada uma cidade histórica e monumental, pois possui uma grande quantidade de monumentos, igrejas e casas brasonadas, sendo também uma diocese portuguesa.

 

EN2- KM100- Lamego- Portugal

 

 

PONTOS DE INTERESSE

Pedro de Balsemão – é o segundo templo mais antigo da Península Ibérica. Há quem diga que foi construída durante a dominação visigótica, mas há quem defenda que tem origem no século X.

Sé Catedral – A Sé de Lamego, foi fundada em 1129. É uma catedral gótica, mantém a torre quadrada original, mas o resto da arquitecturareflecte as modificações feitas nos séculos XVI e XVIII, incluindo um claustro renascentista com uma dúzia de arcos bem proporcionados.

Santuário de N.Sra. dos Remédios (séc.XVIII) – No topo do monte de Santo Estêvão, o santuário é atualmente parte integrante do panorama da cidade à qual está unido por um escadório cenográfico.

Castelo de Lamego – Castelo originalmente de montanha, actualmente os seus dois panos de muralha, interna e externa, inserem-se na malha urbana. Ex-libris da cidade, do alto de seus muros podem-se avistar as águas dos rios Coura, Balsemão e Varosa.

Teatro Ribeiro Conceição – O edifício foi construído em 1727 com o objectivo de ali funcionar o Hospital da Misericórdia. Mais tarde, em 1886, o Quartel do Regimento da cidade de Lamego sofreu um grande incêndio e a Misericórdia cedeu-lhe o espaço do velho hospital. Porém, no ano seguinte, essa fatalidade também assombrou este edifício, ficando reduzido a escombros.

 

Portugal

Mosteiro de N.Sra. dos Remédios- Lamego

 

FESTAS E ROMARIAS

Festa de Nossa Senhora dos Remédios – 8 de Setembro

Festa de Nossa Senhora dos Remédios- Durante três semanas que antecedem o Domingo de Páscoa

Feira de Santa Cruz – 3 de Maio

Carnaval de Lazarim – Fevereiro

 

ARTESANATO

Cestaria, tanoaria, máscaras de Carnaval, olaria, marcenaria, funilaria, tecelagem, ferro forjado, escultura popular de granito

 

VISEU

Cidade capital de distrito situada a 292km de Lisboa e 133 km do Porto, tem uma história repleta de acontecimentos, sendo uma das cidades mais antigas de Portugal. Por aqui passaram Celtas, Romanos, Muçulmanos e por fim os Cristãos.

Uma cidade-museu com igrejas que marcam a paisagem urbana, casas históricas, museus ou o seu belo centro histórico.

 

Distrito de Viseu

 

PONTOS DE INTERESSE

Catedral de Viseu (séc.XIII-XIV) – A Catedral apresenta uma variedade de estilos arquitectónicos: românico, gótico e manuelino. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor, os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII.

Museu de Arte Sacra (na Catedral de Viseu) – Antigos objectos litúrgicos

Museu Etnográfico – História da tecelagem e seu processo de confecção

Museu Grão Vasco – Colecção de pintura do séc.XV de Vasco Fernandes (Grão Vasco)

Igreja da Misericórdia (séc.XVIII) – A Igreja da Misericórdia começou a ser edificada em 1775. O corpo central da fachada prolonga-se por mais dois corpos laterais, dando à igreja ares de solar, nos últimos dos quais assentam, de forma incaracterística, as duas torres sineiras.

Igreja dos Terceiros de São Francisco (séc.XVIII) – É um templo da cidade de Viseu e situa-se na extremidade do Parque Aquilino Ribeiro voltada para o Rossio (Praça da República).

 

Pousada de Viseu - Portugal

Pousada de Viseu – Portugal

 

FESTAS E ROMARIAS

Festa das Janeiras, em Passos de Silvueiros

Feira Franca de São Mateus – de 24 de Agosto a 24 de Setembro (realiza-se há mais de 600 anos)

Semana Gastronómica – Março

Feira de São Mateus em Viseu

 

ARTESANATO

Trabalhos em vime, ferro forjado e em estanho, mobiliário rústico e entalhados em madeira, vitrais, flores de papel, rendas de bilros, tecelagem e olaria

 

PONTOS DE INTERESSE

Santuário de N. Sra. dos Remédios – Lamego

Sé de Lamego

Museu Nacional Grão Vasco- Viseu

Termas de S. Pedro do Sul

Museu do Caramulo- Caramulo (IP5/IP3 a 16km)

 

RESTAURANTES

Vindouro- Lamego

Adega Matos- Lamego

Muralhas da Sé- Viseu

Casa Arouquesa- Repeses- Viseu

 

GASTRONOMIA

Pratos de leitão, chanfana, coelho bêbedo ou a lebre com feijão branco. Na doçaria destacam-se o creme de ovos, os bolos de Aljobre, os Viriatos. Acompanhados os pratos com vinho da região do Dão.

 

EN2- Viseu – Restaurante Forno da Mimi- Portugal

 

HOTÉIS

Six Senses Douro Valley- Lamego

Hotel Lamego- Lamego

Vila Galé Douro- Lamego

Montbelo Viseu hotel & Spa- Viseu

Hotel Palácio dos Melos- Viseu

Pousada de Viseu

Hotel Monte Rio Agueira- Barragem da Aguieira- Mortágua

Hotel Rural Casa dos Viscondes de Várzea – Lamego

 

EN2- Lamego- Six Senses Douro Valley- Portugal

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Quinta da Pacheca- Cambres (Lamego)

Quinta da Casa Amarela- Riobom (Lamego)

Caves Vinícolas Martinho Alves – Tondela

Casa de Mouraz – Quinta do Outeiro- Mouraz (Tondela)

 

APONTAMENTOS DE VIAGEM

Viseu» Tondela: 25km; 0:35’- N2/IP3

Tondela» Penacova: 43km» 0:50’

 

DISTRITO DE COIMBRA (PENACOVA- GÓIS)

 

Portugal

Distrito de Coimbra

 

GASTRONOMIA

Leitão assado da Bairrada;

Arrufadas (Coimbra);

Pastéis de Santa Clara (Coimbra);

Pintos da Tocha (Coimbra);

Chanfana (Coimbra);

Arroz de Lampreia (Coimbra);

Espetada de Mexilhões (Figueira da Foz);

Pastéis e brisas da Figueira (Figueira da Foz);

Tigelada (Coimbra).

 

EN2- Zona do distrito de Coimbra – Portugal

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Quinta de Foz de Arouce-  Lousã

 

EN2- KM190- Tondela- Portugal

 

DISTRITO DE CASTELO BRANCO (SERTÃ- VILA DE REI)

Distrito de Castelo Branco

 

GASTRONOMIA

Empadas de Castelo Branco;

Laburdo (C.Branco);

Cabrito assado;

Cabrito recheado (Alcains);

Miga de peixe (Malpica do Tejo);

Ensopado de cabrito (Tinalhas);

Broas de mel;

Papas de carolo (C.Branco);

Biscoitos de azeite (Castelo Branco);

Tijelada (Castelo Branco).

 

EN2- Vila de Rei- Portugal

 

DIA 4- PENACOVA» GÓIS» SERTÃ

 

PENACOVA

A lampreia é o produto chave da gastronomia de Penacova, atraindo muitas pessoas ao concelho. Outros pratos famosos são o arroz de míscaros e o serrabulho. Além dos doces, salientam-se as Nevadas de Penacova e os Pastéis de Lorvão, à base de ovos e miolo de amêndoa. No alto concelho é tradicional a chanfana e o arroz de fressura, ambos de ovelha.

 

GÓIS

Góis é uma vila portuguesa no Distrito de Coimbra, região Centro e sub-região do Pinhal Interior Norte, com menos de 2 000 habitantes, e banhada pelo rio Ceira.

O município é limitado a norte pelo município de Arganil, a leste por Pampilhosa da Serra, a sudoeste por Pedrógão Grande e por Castanheira de Pera, a oeste pela Lousã e a noroeste por Vila Nova de Poiares.

A praia da Peneda, a Praia Fluvial das Canaveias e a Praia Fluvial do Pego Escuro são pontos turísticos de interesse.

 

EN2- Góis- Portugal

 

SERTÃ

A Sertã é uma vila portuguesa pertencente ao distrito de Castelo Branco, região Centro, sub-região do Pinhal Interior Sul e diocese de Portalegre e Castelo Branco, com cerca de 5 500 habitantes, sendo a principal vila do Pinhal Interior Sul.

A gastronomia da Sertã é muito rica. Destacam-se os maranhos e o bucho recheado, sendo de referir, ainda, a presença do cabrito estonado, que apesar de ser um símbolo gastronómico de Oleiros, enriquece a mesa sertaginense desde tempos imemoriais. Na doçaria: Cartuchos à moda de Cernache do Bonjardim.

 

EN2- Restaurante Ponte Velha- Sertã- Portugal

 

PONTOS DE INTERESSE

Águas das Caldas de Penacova

Penedo de Castro

Vila Nova de Poiares – Gastronomia: “Chanfana”

Góis (Praia Fluvial)

Mosteiro de Lorvão- Monumento Nacional

Termas das Caldas de Penacova

Ponte Velha; Capela de N. Sra. Remédios- Sertã

 

EN2- Rio Mondego- Portugal

 

RESTAURANTES

Restaurante Alvaro´s- Góis

O Burgo- Lousã

Restaurante Ponte Velha- Sertã

 

HOTÉIS

Palace Hotel do Bussaco- Luso

Grande Hotel do Luso- Luso

Montebelo Aguieira Lake Resort&Spa- Mortagua

Palácio da Lousã- Boutique Hotel- Lousã

Parque de Campismo de Góis – Góis

Hotel Convento da Sertã- Sertã

Parque Municipal de Campismo do Vale de Góis

 

Aveiro

Palace Hotel do Bussaco

 

APONTAMENTOS DE VIAGEM

Penacova» Mortagua: 18km; 0:25’- N228

Penacova» Góis: 28km- 0:40’

Góis» Sertã: 90km- 1:23h

Lousã» Sertã (68km- A13+ IC8)

Sertã» Abrantes (N2- Perfeitas condições)

 

Palácio do Bussaco – Portugal

 

DISTRITO DE LEIRIA (CASTANHEIRA DE PÊRA- PEDROGÃO GRANDE)

 

Leiria- Portugal

Mapa da Região de Leiria

 

EN2- Pedrogão Grande- Portugal

 

DISTRITO DE SANTARÉM (SARDOAL- ABRANTES)

 

Quinta de Coalhos TH – Abrantes

 

PRAIAS FLUVIAIS PRÓXIMO DA EN2 (SANTARÉM- ABRANTES)

Portugal é um país repleto de beleza e com a chegada do calor ficamos com aquele bichinho de explorar o que a natureza tem para nos oferecer. As praias fluviais sem dúvida que são um óptimo refúgio não só pelo contacto directo com a natureza, mas também pelas paisagens incríveis que podemos encontrar em algumas delas.

São locais de lazer e bem-estar únicos que, devido ás suas características naturais, proporcionam recantos de enorme beleza. 

 

Aldeia do Mato- Abrantes

Situada na Albufeira de Castelo de Bode, é uma praia com completas infra-estruturas de apoio.

Carvoeiro- Mação- Santarém

Em Mação fica a praia fluvial com óptimas infra -estruturas. Um extenso relvado e parque de merendas.

 

EN2- Vila de Rei- Portugal

 

DIA 5- CONSTÂNCIA» ALMOUROL» ABRANTES

 

CONSTÂNCIA

Constância é uma vila portuguesa pertencente ao Distrito de Santarém, região Centro e sub-região do Médio Tejo, com cerca de 900 habitantes.

Constância é conhecida por ter sido local de residência do poeta Luís de Camões, que aqui escreveu alguns dos seus poemas líricos, por ocasião do seu desterro no Ribatejo (possivelmente entre 1546 ou 1547).

A Praia fluvial de Constância, fica situada junto à confluência do rio Zêzere com o Tejo, é o local preferido durante os calores abrasadores do verão. Tem um pequeno areal, zona de piqueniques e um bar.

 

ALMOUROL

castelo de Almourol, está situado numa pequena ilha que já era habitada no tempo da ocupação romana da península, a partir do século VIII, foi ocupada pelos muçulmanos, que a terão conquistado aos visigodos.  No âmbito da reconquista cristã da Península Ibérica, Almourol foi conquistado por D. Afonso Henriques, em 1129, que o entregou à Ordem do Templo. Esta ordem é responsável pela reconstrução do castelo, conferindo-lhe as características das fortificações templárias.

Castelo de Almourol

 

ABRANTES

Abrantes é uma cidade portuguesa pertencente ao distrito de Santarém, na sub-região do Médio Tejo, na região Centro, com cerca de 18 500 habitantes.

A cidade de Abrantes ergue-se numa colina a 100 m da margem direita do rio Tejo, à altitude média de 100 m, dominando todo o vale desde o oeste de Belver, concelho do Gavião, até ao município de Constância.

O Castelo de Abrantes, também referido como Fortaleza de Abrantes, construído em alvenaria de pedra, apresenta planta poligonal irregular (orgânica), acompanhando o afloramento rochoso em que se ergue, com muralhas de faces predominantemente retas.

Originalmente em estilo românico, as reformas que lhe foram introduzidas no século XIII conferiram-lhe o aspecto gótico.

Do antigo e austero castelo medieval, envolto por um jardim público de onde se descortina uma invejável panorâmica, restam atualmente apenas a sólida Torre de Menagem, a Porta de Armas (no ângulo nordeste) e a arcaria de suporte a dois distintos panos de muralhas que servem de parapeito a um miradouro sobre a cidade.

 

PONTOS DE INTERESSE

Picoto Rainho – Centro Geodésico de Portugal- Vila de Rei

Barragem do Cabril

Praia Fluvial do Mosteiro

Vila de Constância

Castelo de Almourol

Castelo de Abrantes

 

RESTAURANTES

Restaurante Santa Isabel- Abrantes

Restaurante As Três Naus- Sardoal

Restaurante A Taberna- Abrantes

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Quinta do Casal da Coelheira- Centro Agrícola do Tramagal (Abrantes)

Monte Olivete – Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda- Casal da Igreja- Mouriscas (Abrantes)

 

HOTÉIS

Hotel Segredos de Vale Manso (14km de Abrantes)

Quinta do Côro – Sardoal

Quinta de Coalhos TH – Abrantes

 

APONTAMENTOS DE VIAGEM

Abrantes» Almourol: 24km- 0:22’

Abrantes» Mora: 76km- 1:12h

 

DISTRITO DE PORTALEGRE (PONTE DE SOR- MONTARGIL- AVIS)

 

Alentejo- Portugal

Albufeira do Maranhão – Avis

 

ARTESANATO

Cestaria, carroças alentejanas com os respectivos animais, arados, grades e outras peças em cortiça, miniaturas de mobiliário em madeira, vários tipos de rendas e peças decorativas e utilitárias em olaria.

 

GASTRONOMIA

Cachafrito de cabrito, borrego, sarapatel, molhinhos de tomatada, migas com entrecosto, ensopado de cabrito, açorda, alhada de cação, morcela, chouriço, farinheira de assar, linguiça, paio.

 

Alentejo- Portugal

Lago Montargil & Villas – Portugal

 

DIA 6- PONTE DE SOR» MONTARGIL

 

PONTE DE SOR

A origem do nome da cidade, deve-se à existência da ponte romana sobre a ribeira de Sor, sendo esta o ex-líbris do município

Dos principais monumentos históricos, destaca-se a ponte oitocentista sobre a ribeira de Sor; a Igreja Matriz, do século XVII, reedificada após um incêndio e que apresenta um belo altar de ferro forjado na janela da sacristia; a Capela do senhor das Almas; o edifício dos antigos Paços do Concelho, erguido em 1886; e a antiga Fábrica de Moagem de Cereais e Descasque de Arroz, hoje um moderno centro cultural onde funciona a Biblioteca Municipal, o Arquivo Histórico Municipal e o Centro de Artes e Cultura – um centro de exposições de arte.

 

MONTARGIL

A Barragem de Montargil localiza-se no distrito de Portalegre, concelho de Ponte de Sôr, freguesia de Montargil.

Pertence à bacia hidrográfica do rio Tejo, e situa-se na ribeira de Sôr. Foi projectada pela Direcção-Geral dos Serviços Hidráulicos em 1954 e ficou concluída no ano de 1958. Actualmente é propriedade da Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia e, conjuntamente com a barragem de Maranhão e a barragem de Magos alimenta o Canal do Sorraia.

A albufeira da barragem é muito utilizada na prática de desportos náuticos, na pesca desportiva e para as atividades relacionadas com a natureza como a Observação de aves.

 

EN2- KM450- Montargil

 

PONTOS DE INTERESSE

Barragem de Montargil- Praia de areia fina

Maior Mosaico de Cortiça do Mundo (Centro de Artes) – Ponte de Sor

 

RESTAURANTES

Retiro do Mocho- Foros do Mocho- Montargil

O Olivença- Ponte de Sor

Petisqueira Alentejana- Ponte de Sor

Quadrifonia- Ponte de Sor

Oficina d’ Anjos- Tapas&Vinhos- Montargil

 

GASTRONOMIA

A gastronomia de excepção e a diversificada oferta hoteleira, faz do Alentejo uma das mais relevantes regiões vitivinícolas do país. Percorra a Rota dos Vinhos e visite algumas das mais belas vilas e cidades alentejanas. E porque um bom vinho pede um bom petisco, delicie-se com as entradas, a queijaria e a charcutaria alentejana, os torresmos, os pimentos assados, a salada de polvo e os pezinhos de coentrada. Depois, há imperdíveis como os ensopados, as migas, as excelentes carnes de caça, as caldeiradas, a sopa de cação e os peixes grelhados. No final, prove os doces conventuais, as queijadas de requeijão, a sericaia com ameixas; tudo combinado com os excelentes licores da região.

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Casa de Sarmento, SA- Sernadelo (Mealhada)

Fonte de Avis- Soc. Agrícola, Lda- Figueira de Barros (Avis)

Fundação Abreu Callado- Benavila (Avis)

Herdade da Anta de Cima- Ponte de Sor

 

EN2- KM450- Montargil- Portugal

 

HOTÉIS

Lago Montargil & Villas Hotel- Montargil

Herdade da Sanguinheira- Longomel- Ponte de Sor

Herdade do Chamusquinho- Foros do Mocho- Montargil

Parque de Campismo Orbitur- Montargil

Montargil Monte Novo- Montargil

 

DIA 7- MORA» MONTEMOR-O-NOVO» CASTRO VERDE

 

DISTRITO DE ÉVORA (MORA- VIANA DO ALENTEJO)

 

Alentejo- Portugal

Templo de Diana- Évora

 

DISTRITO DE BEJA (FERREIRA DO ALENTEJO- ALJUSTREL- CASTRO VERDE)

 

Distrito de Beja

 

 

MORA

A vila de Mora está inserida no distrito de Évora. É data incerta a formação do município, mas pensa-se ter sido constituída no início do século XVI.

Situada a 120kms de Lisboa, 57kms de Évora e a 22kms de Montargil, tem no Fluviário de Mora uma das principais atracções turísticas da vila.

 

O Fluviário de Mora é um aquário público dedicado aos ecossistemas de água doce, privilegiando o conhecimento da sua diversidade, importância e relação com a humanidade. Foi inaugurado a 21 de Março de 2007 e ao longo da visita ficará a conhecer algumas das espécies dulciaquícolas de Portugal da nascente até à foz, outras que ocorrem na Península Ibérica, e também da bacia hidrográfica do rio Amazonas e dos grandes lagos africanos do vale do Rift. Com a água doce como tema transversal a diversas áreas de conhecimento e culturas, a visita a este aquário é um local de sensibilização para cuidarmos desses ecossistemas que albergam uma enorme diversidade, apesar da água doce disponível em estado líquido à superfície constituir somente 0,01% de toda a água do planeta Terra.

Outros pontos de interesse: Igreja Matriz; Igreja de Brotas; Santa Casa da Misericórdia (séc.XVII); Torre Águias; Anta Pavia; Pelourinho Cabeção e o recente Museu Interactivo do Megalitismo.

 

Alentejo -Portugal

Fluviário de Mora @ credits CMM

 

Museu Interactivo do Megalitismo

Localizado praticamente no centro da vila de Mora, a escassos quilómetros do Fluviário, o Museu do Megalitismo, único a nível nacional, é a concretização de um sonho antigo da autarquia (inaugurado em 2016), no sentido da valorização do vasto e riquíssimo património megalítico existente no Concelho.

O Museu Interactivo do Megalitismo de Mora resgata uma infraestrutura historicamente importante para a população, a antiga Estação do Caminho de Ferro. A inovação, o dinamismo e a interactividade marcam a diferença neste equipamento único a nível nacional. Um espaço de cultura e lazer, cuja exposição permanente dá a conhecer o legado arqueológico da região, resultado do vasto trabalho desenvolvido ao longo dos anos. A criação desta nova valência representa também o crescimento da oferta turística e sócio-económica do Concelho, funcionando como complemento à já existente, como é o caso do Fluviário de Mora.

 

Museu Interactivo do Megalitico @ credits CMM

 

MONTEMOR-O-NOVO

A cidade de Montemor-o-Novo foi edificada entre três montes: (o maior) o do Castelo de Montemor-o-Novo, o da igreja da Nossa Senhora da Visitação e o da igreja da Nossa Senhora da Conceição.

 

EN2- Gruta do Escoural- Montemor-o-Novo- Portugal

 

CASTRO VERDE

Castro Verde está situado no Baixo Alentejo, na região do Alentejo, num território conhecido como Campo Branco. Uma grande parte do território do município encontra-se dentro de uma zona da Rede Natura 2000 da União Europeia, representadas por uma Zona de Proteção Especial para as espécies de aves estepárias ameaçadas como a abetarda e o peneireiro-das-torres. As fronteiras do município são marcadas nas bermas das estradas que conduzem até aos limites do território com o emblema logotipo do concelho – o marco do município – “Uma janela sobre a planície”.

A atividade mineira nesta região remonta há milhares de anos, com restos de estruturas de mineração que remontam à época romana, quando a região teve um papel significativo na expansão da metalurgia romana. Esta zona sul da Lusitânia, foi uma província romana e, durante vários séculos foi uma fonte abundante de minerais de minério em que se incluem ouro, prata, cobre, estanho, chumbo e ferro.

 

EN2- Casa Dona Maria- Castro Verde- Portugal

 

PONTOS DE INTERESSE

Fluviário de Mora

Castelo de Montemor-o-Novo

Grutas do Escoural

Museu do Chocalho- Alcáçovas

Barragem do Roxo- Ervidel (Aljustrel)

Basílica Real de N. Sra. da Conceição- Castro Verde

Ponte Romana de Alfundão

Quintas produtoras de vinho alentejano

 

N2- KM500- Montemor-o-Novo- Portugal

 

RESTAURANTES

O Poço- Brotas- Mora

Quinta do Espanhol- Foros de Mora- Mora

A Palmeira- Cabeção- Mora

Afonso- Mora

Pátio dos Petiscos- Montemor-o-Novo

Excelentíssimo- Torrão

Fio d’Azeite- Aljustrel

Castro- Aljustrel

 

EN2- KM500 – Ciborro- Portugal

 

GASTRONOMIA

Açorda de Bacalhau; Gaspacho; Ensopado de Borrego; Migas; Coelho à Caçador; Sopa de Cação; Tomatada; Sopa da Panela e Sopa de Beldroegas.

 

EN2- Entrecosto de Porco Ibérico com Migas- Castro Verde- Portugal

 

ADEGAS COOPERATIVAS

Herdade das Soberanas- EN2, Km574- Vinhos Península Setúbal e Alentejo

Herdade do Menir/ Couteiro Mor

Fernando Manuel Roma Pereira Toscano- Quinta da Horta de Chaves- Mora

L’ And Vineyards- EN4- Herdade das Valadas- Montemor-o-Novo

 

HOTÉIS

Hotel Solar dos Lilases- Mora

Azenhas da Seda (Glamping)- Pavia

L’and Vineyards Resort- Montemor-o-Novo

Herdade dos Grous- Albernoa- Beja

Clube de Campo Vila Galé- Albernoa- Castro Verde

 

Alentejo- Portugal

Clube de Campo Vila Gale- Albernoa

 

FESTAS E ROMARIAS

Festa de Nossa Senhora das Brotas (Agosto); Feira dos Passos (segunda semana antes da Páscoa); Feira Anual de Mora  (Setembro); Festa das Migas  (Fevereiro).

 

EN2- Minas de Aljustrel- Portugal

 

APONTAMENTOS DE VIAGEM

Mora» Montemor-o-Novo: 47km- 0:46’

Montemor-o-Novo» Ferreira do Alentejo: 76km, 1:15h

Ferreira do Alentejo» Aljustrel: 25km, 0:30’

Aljustrel» Castro Verde: 21km- 0:20’

 

EN2- KM637- Castro Verde- Portugal

 

DISTRITO DE FARO (LOULÉ- FARO)

 

EN2- Próximo de São Braz de Alportel – Portugal

 

Roteiro judaico de Portugal

Cemitério Judaico de Faro- Portugal

 

ALGARVE RURAL 

Pelo interior do Algarve, descubra a natureza genuína, e um rico património natural.

Fontes, igrejas, castelos, pontes romanas, miradouros, barragens e ribeiras, são percursos que poderá percorrer pelo interior do Algarve, pela região de Loulé ou S. Braz de Alportel.

Percorra a Serra do Caldeirão, com os seus contrastes de florestas de eucalipto, sobreiros, pinheiros e os seus campos cultivados de trigo e cevada.

 

Serra de Monchique

Pontos de interesse: Igreja Matriz de Alferce; Igreja Matriz de Monchique; Núcleo de Arte Sacra (Monchique); Convento de N. Sra. Do Desterro (Monchique); o Complexo de Termas de Monchique; o Complexo Natural das Caldas; Miradouro da Fóia.

 

Algarve Rural

Convento de N. Sra. Do Desterro (Monchique)

 

Região de Loulé

Muralhas do Castelo de Loulé; Igreja Matriz de Loulé; Convento do Espírito Santo (Loulé); Ruínas do Castelo e Centro Interpretativo Arqueológico de Salir; Casa Museu João de Deus (S. Bartolomeu de Messines); o Castelo, a Fonte e a Ponte Medieval de Paderne; as Barragens do Funcho e do Arade; a Ribeira de Quarteira.

 

ARTESANATO

Artefactos de verga e vime;

Chapéus e alcofas de palha;

Artigos de cobre e latão;

Artigos de madeira;

Cerâmica de Porches.

 

DIA 8- LOULÉ» FARO

 

LOULÉ

É sede do mais extenso e populoso município algarvio, com 763,67 km² de área e 71 000 habitantes (2011), subdividido em 9 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Almodôvar, a nordeste por Alcoutim e Tavira, a leste por São Brás de Alportel, a sudeste por Faro, a sudoeste por Albufeira, a oeste por Silves e a sul tem litoral no Oceano Atlântico.

O município de Loulé engloba duas cidades, Loulé e Quarteira, e nele localiza-se o Santuário de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana).

No concelho de Loulé situam-se os complexos turísticos de Vilamoura/Quarteira, Quinta do Lago e Vale do Lobo (os dois últimos na freguesia de Almancil).

 

FARO

É sede de um município com 65 000 habitantes (2011). Limitado a norte e oeste pelo município de São Brás de Alportel, a leste por Olhão, a oeste por Loulé e a sul tem costa no Oceano Atlântico.

Através do Aeroporto de Faro, a cidade constitui a terceira maior entrada externa do país (a seguir a Lisboa e Porto), o que lhe confere uma valência vincadamente cosmopolita.

 

Pousada de Estói- Faro- Portugal

 

PRINCIPAIS EVENTOS

Concentração de Motos de Faro; FOLKFARO – Folclore Internacional da Cidade de Faro; FARCUME: Festival Internacional de Curtas-Metragens de Faro; Feira de Santa Iria; Festival de Órgão de Faro; Moura Encantada – Festival de Tunas Femininas no Algarve; Semana Académica do Algarve; Festival de Flamenco de Faro; FARTUNA: Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro; Festa da Ria Formosa; Alameda Beer Fest.

 

PONTOS DE INTERESSE

Miradouro do Caldeirão – Serra do Caldeirão

Fábrica de Cortiça – Alportel

 

EN2- Km738 – Faro – Portugal

 

RESTAURANTES

Tasquinha do Medronho- Almodôvar

O Moinho- Almodôvar

Casa dos Presuntos- Cortelha

A Tia Bia- Barranco do Velho- Salir (Loulé)

 

GASTRONOMIA

Além do peixe e marisco fresco, destaque para o Xarém, a caldeirada e o arjamalho que são pratos típicos. A doçaria vai desde o Dom Rodrigo ao morgado de amêndoas. Beba como aperitivo um medronho ou uma amarguinha.

 

Outras iguarias algarvias

Sopa de berbigão com coentros;

Sopa de conquilhas;

Sopa de baldroegas;

Galinha mourisca;

Arroz de Safio;

Feijoada de búzios;

Arroz de lingueirão;

Cataplana de peixe ou marisco;

Variedades de peixe fresco e marisco;

Doces regionais do Algarve (à base de amêndoa).

 

Portugal

Arroz de Lingueirão – Prato tradicional do Algarve

 

HOTÉIS

Pousada do Palácio de Estói (Estói)

Hotel Quinta do Lago- Quinta do Lago

Martinal Quinta Family Resort- Quinta do Lago

 

DIA 9- FARO» LISBOA OU PORTO

Regresso à cidade de origem

 

EN2- Faro- Portugal

 

  • Viagem realizado por João Almeida, dividida por 3 etapas (2017) ao longo dos 738kms da N2.
João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

SEGURO DE VIAGEM

ARTIGOS DE VIAGEM

PROMOÇÕES DE VIAGEM

RESERVA DE VOOS/ HOTÉIS

RESERVA AUTOMÓVEL

Categorias

Mapa Hoteis em Portugal

bHotel com Piscina Interior pHotel de Luxo rPousada yTermas e SPA gTurismo Rural