MENU
4 Abr

APAIXONANTE CAPITAL TBILISI (GEÓRGIA)

 

A apaixonante capital Tbilisi (Geórgia)

Texto & Fotos de António Ribeiro

 

A Geórgia é um destino que embora não seja muito popular para a maioria das pessoas, é sem dúvida um destino que para muitos apaixonados por viagens faz parte da sua lista de desejos, um destino com muito para descobrir, neste país no Cáucaso.

O país em si tem muito para ver e conhecer, com várias cidades descobrir, penso inclusive que essa é a verdadeira magia da Geórgia, não nos limitarmos só a uma cidade, explorando este país com muito para oferecer, ou por exemplo descobrir a Geórgia juntamente com a Arménia e/ou o Azerbaijão, chegando assim até ao mar Cáspio.

As cidades para conhecer são bastantes embora algumas se destaquem mais, muitas podem ser alcançadas em tours desde a sua capital Tbilisi, outras mais junto ao lado do mar negro, onde temos a segunda maior cidade, Batumi e a terceira maior Kutaisi; eu estive nestas três maiores cidades (no próximo artigo falarei de Batumi e Kutaisi).

Algumas das cidades de maior destaque além da capital, de Batumi e Kutaisi, que podemos ainda conhecer neste país perdido entre o mar negro e as montanhas do Cáucaso (na chamada a Eurásia), são: Borjomi (cidade termal, muito verdejante, onde é captada a água mineral com o mesmo nome e que é um dos produtos mais exportados da Geórgia); Gori (cidade onde nasceu Josef Stalin onde fica também o seu museu); Saveti e Mestia (duas cidades no meio das montanhas do Cáucaso, ideal para o contacto com a natureza); Kakheti (a cidade que é conhecida como o berço da vitivinicultura, pois a Geórgia reclama para si ter começado a produção de vinho) e Mtskheta (uma das cidades mais antigas do país, tendo sido já a sua capital, é também património da UNESCO e tem a ainda a beleza de juntar a confluência de dois rios).

 

Tbilisi

 

teleférico, Junto á fortaleza, Tbilisi

 

Fortaleza Narikala nohorizonte,Tbilisi

 

liberty square, Tbilisi

 

Em 2020 abriu uma rota da Ryanair para a capital Tbilisi, rota esta que teve vários cancelamentos devido à pandemia e até agora não voltou a surgir; a alternativa mais fácil e barata é o aeroporto de Kutaisi, uma das bases da companhia aérea Wizz Air, que oferece voos a bons preços para várias cidades europeias como: Barcelona, Milão,  Vienna, Paris, Berlim, Roma, entre outras; o aeroporto é moderno embora não muito grande, tem ligação entre os voos com serviço de Bus para Tbilisi e Batumi.

Eu fui de Barcelona, pois a facilidade e preço desde Portugal para aqui é muito em conta, Milão também é uma boa alternativa, façam a conjugação dos voos. Chegando ao aeroporto de Kutaisi, temos um bus (duas operadoras) que vai demorar cerca de 4 h até a Tbilisi.

 

rio junto aos banhos, Tbilisi

 

centro histórico Tbilisi

 

Tbilisi é uma cidade apaixonante, com uma harmonia de antigo e histórico com a irreverência e modernidade, gosto deste género de cidades em que o contraste se nota na paisagem, com um corte do antigo com a modernidade. O rio Kura, rio este que eleva a beleza da cidade e onde podemos também fazer uma bela viagem de barco e contemplar Tbilisi e as sua encostas no ponto mais baixo da cidade; é aqui junto ao rio, que temos uma presença de maior concentração destas construções vanguardistas, começando logo por aquela que é a sua foto postal, a Ponte da paz, uma ponte pedonal em estrutura metálica toda revestida em vidro, projetada pelo arquiteto italiano Michele de Lucchi e que foi terminada em 2010, esta ponte além da sua beleza e a sua arquitetura singular, ganha uma beleza soberba de noite quando se ilumina com os seus inúmeros led´s.

Numa das extremidades da ponte da paz,  temos o Rike park, neste bonito espaço verde temos o Air balloon, onde podemos fazer voos panorâmicos na cidade, o voo demora cerca de 15 minutos, custa 35 GEL (cerca de 10€); neste parque fica também um edifício vanguardista e de design arrojado, é o centro de exposições e teatro musical “studio Massimiliano & fuksas”, uma espécie de dois tubos em estrutura metálica e vidro,  têm realmente uma arquitetura fora de série, e de uma beleza fantástica, no alinhamento da sala de exposições e teatro musical, mais acima, na parte mais elevada fica um outro edifício imponente, o Palácio Presidencial.

 

I love tbilisi

 

o palácio da rainha Darejan Dadiani , Tbilisi

 

Igreja Kasheveti de S. George, na avenida Rustaveli, Tbilisi

 

basílica Anchiskhati, Tbilisi

 

centro histórico Tbilisi

 

Temos ainda neste extremo do parque uma escadaria que sobe até a outra parte mais elevada da cidade, onde temos um miradouro, com uma vista privilegiada para a parte antiga da cidade, com o destaque no topo para a fortaleza Narikala e a imponente estátua da Mãe Georgia. Junto às margens do rio Kura, destaque ainda para mais dois edifícios de arquitetura moderna, a casa do ministério da justiça, que é um enorme edifício que concentra também outros serviços de utilidade  pública, um edifício enorme e com uma arquitetura bonita, foi inaugurado em 2011; junto da ponte da paz fica também o casino “Shangri”, junto ao rio nota ainda para as suas pontes como a Nikoloz  Baratashvili ou a Metekhi e entre outros, o parque Dedaena.

Novamente junto ao parque Rike (onde fica a paragem do teleférico que sobe para a fortaleza), fica a Praça da Europa e junto desta, fica o palácio da rainha Darejan Dadiani (um bonito palácio em pedra, arredondado e com uma varanda para a praça da Europa e o rio), aqui perto, mais junto da ponte Metekhi, fica numa elevação sob o rio, a estátua do Rei Vakhtang da Ibéria, a estátua virada para o rio e para a parte velha da cidade, nesta parte elevada, quase que isolada, dá uma imponência fantástica; nesta mesma elevação, fica junto da estátua, a Igreja da virgem Maria de Metekhi, uma bonita igreja ortodoxa que já foi reconstruída várias vezes devido às destruições devido às invasões.

 

arte urbana, Tbilisi

 

rio junto aos banhos, Tbilisi

 

Subindo agora deste lado rio (lado contrário do centro histórico), vamos caminhar cerca 1.5 km e vamos para um dos locais de maior destaque da cidade, um ponto turístico, que à semelhança da estátua da Mãe Georgia, ou da fortaleza Narikala, é um ponto que se  vê facilmente no horizonte em toda a cidade, a bonita e imponente Catedral de Sameba, também conhecida como catedral da santíssima trindade, a catedral é linda e imponente, enorme mesmo, tem uma altura de cerca de 86 metros (até ao topo da cruz) e é uma das maiores catedrais ortodoxas do mundo (salvo erro a terceira maior), tem uma área envolvente muito agradável e o seu interior tal como a percepção que temos no exterior é de uma imponência e beleza soberbos, a catedral foi consagrada pelo patriarca em setembro de 2004.

De regresso à praça da Europa, atravessamos a ponte Metekhi e entramos então no centro histórico de Tbilisi.

 

Igreja da virgem Maria de Metekhi e estátua rei Vakhtang, Tbilisi

 

O seu centro histórico é excelente para desbravar, as ruelas sinuosas, as suas casas com as varandas típicas, bem características, como se fossem feitas depois da casa com uns suportes extra; infelizmente um pouco degradado, contudo o seu encanto está na autenticidade, na verdadeira essência do povo e da sua cultura, são este tipo de pormenores que apaixonam nas viagens, não é só ter um grande número de atrações. Ir a um bar ou um restaurante nas suas esplanadas, vaguear pelas ruas ouvindo a “minha música” nos fones (mesmo que neste caso com neve), são experiências que encantam e tornam as memórias das viagens fantásticas.

Entre outros locais que podemos ver na parte histórica da cidade temos, desde logo um dos símbolos da cidade, que é a torre do relógio esta bonita torre construída em 2010 por Rezo Gabriadze, além da beleza da torre tem o pormenor de a cada hora sai da janela um anjo que bate com um martelo no sino; ainda existe um pequeno teatro mecânico de marionetes que representa o ciclo da vida, é às 12h e 19h, ao lado fica o teatro de marionetes, os preços andam entre os 10-20GEL.

Junto da torre destaque também para a basílica Anchiskhati, é a mais antiga igreja de Tbilisi (século VI), notando-se no seu exterior e interior, com tons mais carregados e menos iluminação, achei particularmente interessante.

 

torre do relógio, Tbilisi

 

Junto da ponte Metekhi, fica o letreiro “I love Tbilisi” e aqui junto deste, o mercado de Meidan (Meidan Bazar), é um bazar subterrâneo, é lindíssimo, com muitos produtos tradicionais e souvenirs, merece sem dúvida a visita nem que seja só para ver esta preciosidade; bem próximo daqui também fica a Catedral de S. Jorge, o teu telhado esverdeado e cónico sobressai quando estamos na fortaleza, dando uma imagem postal da cidade, é uma igreja armênia do século XVI.

Outra bela igreja ortodoxa em Tbilisi é a catedral Sioni, é a catedral patriarcal, é de grande importância para os georgianos, pois abriga a santa cruz do padroeiro do país, S.Nino.

Na sua principal avenida “Shota Rustaveli” (que era um famoso poeta Georgiano e que é um símbolo da nação), vamos encontrar além da sua própria beleza desta avenida de estilo soviético, vários museus e lugares de destaque, a avenida vai desde a praça da liberdade (que é das principais praças da cidade, com uma estátua no centro de S. George) até junto da estátua de Rustaveli e de uma de arte urbana que é uma bicicleta gigante (ambas junto da estação de metro Rustaveli); na avenida ficam: a Ópera e Ballet Nacional; a Galeria Nacional (conhecida como galeria azul, pois a sua fachada é azulada) ; passamos por mais um parque urbano, o “9 april Park”  e junto deste mais uma bonita igreja ortodoxa,a Igreja Kasheveti de S. George; do outro lado da avenida, fica o imponente Parlamento da Geórgia; o Museu de Arte Moderna; o Museu Nacional da Georgia e o Museu Georgiano de Belas Artes, são alguns dos locais de maior importância nesta que é principal artéria da cidade.

 

Parlamento da Geórgia, Tbilisi

 

Ponte da paz, Tbilisi

 

ponte da paz, Tbilisi

 

Destaque ainda para mais um punhado de locais a visitar neste centro histórico: o parque Leonidze, Museu da Literatura, várias igrejas ortodoxas (como por exemplo a Surb Nshan) que podemos encontrar pela cidade e uma outra que é a Catedral Católica, o Memorial dos Heróis, o Memorial aos soldados Georgianos mortos na guerra (um memorial que tinha a presença de dois guardas em sentido junto dele), o Museu do Vinho, uma parte da muralha antiga de Tbilisi, várias estátuas de arte urbana e por exemplo arte em grafitti em passagens subterrâneas; podemos descobrir mais ao caminhar pela cidade, descarregar um mapa offline e ir vendo aqueles que for possível é  a melhor forma de explorar Tbilisi, eu recomendo dois dias para uma visita completa.

 

área junto da Catedral de Sameba, tbil

 

vilnius park, é mais um parque agradável na cidade, este fica junto do funicular que dá acesso ao parque Mtatsminda, que é outro local em destaque, é um parque de diversões na montanha com o mesmo nome (onde fica também a torre de TV), é um local agradável com muita harmonia com natureza e que oferece uma boa quantidade de atrações e diversões, eu adorei a visita, uma vez que estava coberto de neve e mesmo tendo as atrações fechadas, tinha a magia que a neve traz a qualquer local, dando um cenário fantástico, tendo também uma visita de toda a cidade coberta de neve.

Ao fundo do parque, temos ainda mais uma bela igreja, a igreja Mama Daviti (aqui estão sepultados alguns escritores e artistas importantes do País) podendo descer depois daqui novamente para o centro da parte velha da cidade.

 

parque Mtatsminda, coberto de neve, Tbilisi

 

parque Mtatsminda com neve, Tbilisi

 

parque Mtatsminda

 

No topo da montanha, (atrás da parte velha da cidade), temos o grande destaque para a fortaleza de Narikala, a melhor forma é acessar pelo teleférico, embora tenha trilhos para chegar até aqui ( descer num deles proporciona bonitas vistas sobre a cidade), a fortaleza remonta ao século IV e é dividida em duas secções, dentro de uma parte da fortaleza, fica a igreja de S.Nicolau, junto à fortaleza ficam ainda o Jardim Botânico, eu como aquando da minha visita estava a nevar e estar tudo coberto de neve , optei por não visitar, a entrada custa 4 GEL( pouco mais de 1€)

Aqui próximo, a cerca de 100 metros, fica a imponente e bonita estátua Mother of Georgia (Mãe da Geórgia), uma estátua de alumínio, com cerca de 20 metros de altura, numa das mãos tem uma espada para proteger a cidade, na outra uma tigela com vinho para receber quem vem como amigo.

 

banhos ( sulfur baths)

 

banhos ( sulfur baths)

 

Os banhos termais (Sulfur Baths), é algo que não pode faltar na visita a Tbilisi, os banhos de enxofre estão ligados à história da cidade, a maioria das casas de banhos, estão na zona de Abanotubani (junto ao rio,na parte velha, próximo também da igreja de S. Jorge e do “I Love Tbilisi” um banho reconfortante nestas águas quentes termais é uma experiência que se deve fazer, basicamente e muito resumidamente temos dois tipos de banhos, os privados em que reservamos um “quarto”,para nós ou um determinado grupo de pessoa; e os públicos, em que a entrada é individual e os banhos são partilhados com outras pessoas (separação de género); os banhos privados (por pessoa), andam entre 70- 90 GEL/hora ( entre cerca de  20€ e 26€), já os públicos ficam apenas entre 5 e 10 GEL /hora( menos de 3€), salvo erro paguei cerca de 8 GEL, já com a toalha; eu acabei por fazer o público embora não seja o mais confortável é mais autêntico (daí ter escolhido um dos banhos mais antigos), e como estava sozinho não achei interessante fazer sozinho num quarto, recomendo sobretudo os banhos privados para casais ou famílias, pois a privacidade é melhor.

Os mais conhecidos, são desde logo aquele que é o mais imponente, e que se destaca nesta zona, junto da ponte e do pequeno rio, como que uma fachada de uma mesquita, o Balneário Chreli-Abano, outro destaque vai para   o bath Nº5 , foi a este que eu fui, é dos mais antigos; o Gulo; Myrzoyev e Royal bath, são alguns daqueles que pelo que vi são dos mais badalados.

Podem ainda fazer uma massagem e esfoliação Kisi (os preços andam entre 10 e 20 GEL respectivamente dependendo do banho, qualquer uma pode ser feita quer seja público ou privado);

Na maioria dos banhos convém reservar sobretudo para os privados, eu no banho nº 5 , não foi necessário para os públicos.

 

banhos ( sulfur baths)

 

centro de exposições e teatro musical studio Massimiliano & fuksas

 

meidan Bazar

 

Mais afastado do centro da cidade podemos ver alguns locais interessantes como: o lago de Tbilisi, o parque aquático, o lago Lisi, a cascata de Lervtarrevi, o Mosteiro Tabor da transformação (fica numa outra montanha por trás da fortaleza, a cerca de 1.5km e é visível de vários pontos) o Museu Automóvel e o mosteiro Shavnabada (este já a cerca de 30 km da cidade).

 

A gastronomia na Geórgia é algo que devemos sem dúvida experimentar, com a vantagem de que o preço é muito convidativo; um dos restaurantes que recomendo é um mesmo junto ao “I love Tbilisi” ( existem mais desta rede de restaurantes na cidade) Machakhela, um outro local, que não consigo dizer o nome pois estava em georgiano, era bem junto da praça da liberdade, funcionava ao peso, escolhendo a comida de entre uma grande variedade.

Alguns dos pratos mais tradicionais são: o Kathapuri, este talvez seja mesmo aquele que é obrigatório, é como que um pão aberto, recheado de queijo, manteiga e um ovo, por cima (antes de comer há que misturar tudo), embora pareça simples é deliciosos, outro prato bastante típico são os Khinkali, é uma espécie de ravioli recheado (parece como que um pequeno saquinho de massa com recheio) os mais tradicionais têm um recheio que é uma mistura de carnes de porco vitela e borrego.

 

Sopa de galinha

 

Posso dizer que por exemplo comi estes dois pratos (os Khinkali eram 5 pois são pequenos e por norma são comidos mais que um) mais uma bebida no Machakhela e paguei cerca de 26 GEL (menos de 8€).

Outros pratos tradicionais são por exemplo: Badrijai Nigvzit (beringelas recheadas com nozes); Lobiniani (uma massa de pão recheada com uma mistura de feijão e outras especiarias, em alguns casos com fiambre); Ostri; Ojakhuri e Canaxi (uma espécie de ensopado de borrego, com beringela e batata, temperado com muitos coentros, também é divinal). As sopas têm também uma forte presença na gastronomia Georgiana, a sopa de galinha por exemplo é deliciosa (muito diferente da nossa); outra sopa muito boa que comi foi a Karcho, que tem carne de vaca, com um sabor muito intenso

Embora eu não beba vinho, é algo que para quem gosta, deve provar os vinhos Georgianos, a sua cultura vitivinícola é grande e tem muita antiguidade.

Mesmo que não seja um destino sonante para a maioria das pessoas, recomendo sair do óbvio, deixar os destinos de massas e descobrir um destino que nos possa mostrar o como podemos ver diferentes culturas e belezas que não vemos com facilidade no dia a dia, deixem-se levar pela magia de viajar, vamos partir à descoberta e vir descobrir a Geórgia, Tbilisi é sem dúvida a porta de entrada, uma cidade encantadora e acolhedora, que nos irá por certo receber de braços abertos.

 

Viagens Felizes

 

Vilnius park, Tbilisi

 

avenida rustaveli, Tbilisi

 

Dicas e Notas:

 

Os cidadãos Portugueses (tal como os restantes dos estados membros) não necessitam de visto para entrar na Geórgia, bastando apenas cartão de cidadão ou Passaporte, recomendo verem algumas informações e recomendações no site do portal das comunidades.

A moeda oficial da Geórgia é o Lari (GEL),  1€ – 3.46 GEL, recomendo usarem um cartão como o Revolut, para evitar taxas de levantamento, em lojas e restaurantes é comum usarem cartão com contactless, contudo em muitos locais será necessário dinheiro; o fuso horário é de mais 4h que em Portugal; o domínio de internet é .ge ; o indicativo telefónico é +995.

O georgiano é a língua oficial, tendo o seu próprio alfabeto sendo muito diferente do nosso ou por exemplo do círilico, no entanto em placas de ruas, lojas, estações de metro, locais de interesse e em quase todo os principais locais públicos existe outra linha de texto no “nosso alfabeto” ou  também com a tradução para Inglês (notei uma certa tentativa de ligação com a Europa).

 

Igreja Kasheveti de S. George, na avenida Rustaveli, Tbilisi

 

catedral Sioni, Tbilisi

 

As duas operadoras que ligam do aeroporto de Kutaisi a Tbilisi (e Batumi), estão em ligação com os voos, ou seja estão conectadas com os voos, caso o vôo atrase o bus espera com o mesmo tempo do atraso, as operadoras são a GeorgianbusOmnibus; ambas estão em frente ao terminal no aeroporto, mas em Tbilisi têm paragens diferentes, a Georgianbus pára junto da liberty square, enquanto que a Omnibus pára junto da paragem de metro de Rustaveli.

Outra companhia de bus é a Metrobus, faz ligações entre várias cidades na Geórgia, eu utilizei para ir de Tbilisi a Batumi; nota para que a paragem de bus onde ela opera não é na principal, junto da paragem metro de Didube, ou na Station Square (que é a paragem principal de comboio), a metrobus, parte na estação de Ortachala, que é ligeiramente mais afastado da cidade, sendo a melhor forma de lá chegar de taxi (cerca de 6 Gel de taxi, no caso eu usei a Bolt)

Pelas minhas pesquisas o comboio será apenas vantajoso apenas entre Tbilisi e Batumi, sendo um comboio mais rápido e moderno,  podem descarregar a app TKK.ge que é mais prática para comprar os bilhetes e tem todas as ofertas de eventos, podendo também comprar os bilhetes; site oficial dos comboios aqui.

Os táxis funcionam bem e são bastante acessíveis, recomendo a utilização de uma app, pois torna mais fácil e cómodo a reserva dos mesmos, eu utilizei a Bolt, mas a Index Go, também é muito utilizada.

 

Para andar de metro e bus e nos teleféricos temos de comprar o cartão MetroMoney o cartão custa apenas 2 GEL, cerca de 60 cent., uma vez adquirido pode ser recarregado com as viagens pretendidas,  por exemplo no teleférico da fortaleza de Narikala até junto da ponte da paz a tarifa é de 2.5GEL (menos de 1€), o bus e metro são mais baratos, deixo aqui o link com as tarifas.

Para o parque Mtatsminda, podemos ir de teleférico que é a forma mais prática e fácil, junto da entrada do teleférico que sobe para o parque temos as bilheteiras, a viagem de teleférico de ida e volta custa 6GEL (com a aquisição do cartão), temos depois o cartão tipo metromoney que pode ser recarregado, a entrada no parque em si é gratuita, é pago somente a viagem de teleférico e claro as atrações.

 

Fortaleza á noite

 

Liberty square á noite

 

Achei a cidade super tranquila e segura, não notei vandalismo ou insegurança em lado nenhum, apenas algum abandono em algumas zonas da parte antiga da cidade;

Apenas as pessoas mais velhas (na sua grande maioria) não falam inglês, mas é muito fácil comunicar na cidade, comprar bilhetes de transporte, ir a restaurantes, supermercados, etc, apenas talvez em partes mais antigas poderá haver menos actualização, mas não será difícil comunicar.

 

Conheci a maioria da cidade a pé, acho que é fácil de conhecer, sobretudo para explorar a parte histórica ou junto ao rio Kura, as caminhadas vão valer a pena, uma app de.um mapa offline dá sempre jeito.

Usei um pouco do metro, apenas para explorar os seus arredores, e para ver algumas estações de metro que são do estilo soviético (como em Kiev, ou Moscovo), podem usar pelo menos um trajeto de teleférico que vai da fortaleza até á ponte da paz, achei a viagem interessante e com uma vista bonita.

 

sites úteis:

site oficial turismo Geórgia: aqui

site oficial turismo Tbilisi: aqui

 

Reserva de Bilhetes para Bus, Ferry ou Comboio: Aqui

 

Reservas (click):

Booking – Alojamento

Get Your Guide– Tours, entrada em monumentos

Iati- Seguro de Viagem

BookAway- Reserva de bilhetes Bus, Ferry, Comboio

 

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos nas redes sociais:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

SEGURO DE VIAGEM

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS (+500.000)