15 Fev

VISITA AO BÁLTICO, VILNIUS E TRAKAY

 

Visita ao Báltico, Vilnius e Trakay

Texto & Fotos de António Ribeiro

 

A Lituânia é outro país do Báltico que merece uma visita; já estive aqui duas vezes, a última delas foi em 2019, por um dia aproveitando o facto de ter estado em Minsk e como tinha de ir de avião sendo esta a melhor opção vim até á capital da Lituânia; fiquei um dia inteiro, aproveitando para revisitar um pouco da cidade (tinha estado aqui pela primeira vez em 2015  e fiquei por 2 dias) e visitando desta vez o soberbo castelo de Trakai.

 

Subida para a torre do castelo, Vilnius

 

Torre Gediminas, Vilnius

 

Vilnius tem um grande contraste com a parte mais antiga e os edifícios novos e vanguardistas, do outro lado do rio.

Podemos fazer tudo a pé, penso que merece um dia inteiro, no outro dia podem visitar o castelo de Trakai e se tiverem tempo podem também visitar a cidade de Kaunas.

Na central rodoviária de Vilnius têm bastante informação, e fala-se inglês com facilidade, aí podem comprar os bilhetes de bus para Trakai ou por exemplo para Kaunas.

 

Vilnius

A capital da Lituânia merece uma visita de pelo menos um dia inteiro; chegando ao centro da cidade, pela principal porta para quem vem da estação de comboios e uma das paragens de bus, antes de ir até á central rodoviária (que fica a cerca de 500 metros daqui), saindo da estrada principal entramos então pela Porta da Madrugada  (gate of Down) onde entramos na parte histórica da cidade, logo de seguida da porta temos a igreja de St. Teresa, foi o primeiro monumento de estilo barroco da Lituânia sem torre, é do século XVII e já sofreu várias intervenções de restauro, sendo uma das últimas em 1929; antes de continuar a descer  um pouco mais esta rua de paralelos de estilo antigo, temos a seguir a outra igreja, desta vez uma igreja Ortodoxa, a do Espírito Santo, data do início do século XV, tendo sido ampliada e renovada em 1888, é das igrejas de estilo barroco mais ornamentadas da cidade e é inclusive das que tem o interior com maior valor na Lituânia; podemos visitar ambas as igrejas gratuitamente.

 

Vista da torre do castelo

 

Interior catedral de Vilnius

 

Rio e monte com a torre do castelo, Vilnius

 

Antes de continuarmos a descer por esta rua (“Ausros Vartu”), podemos fazer um breve desvio à direita pela “Subaciaus”, onde caminhando um pouco temos o bastião da muralha defensiva “Vilniaus Gynybiés”, esta muralha defensiva foi construída em 1522, sofrendo posteriormente muitos danos da guerra com a Rússia entre 1655 e 1661. Podemos visitar o seu interior bem como canhões e outras exposições, podemos fazer essa visita por 4€ sendo que é grátis com o Cartão Vilnius pass.

 

Porta da madrugada, entrada para o centro histórico de Vilnius

 

De regresso à rua principal que rasga o centro histórico (não é sempre a mesma rua) de onde começamos a nossa descoberta, temos junto da Praça do município, do lado direito a igreja S. Casimiro, uma igreja de estilo barroco do século XVI, é em homenagem ao defensor e guardião da Lituânia, S. Casimiro que em 1636 foi assim proclamado, a igreja tem uma fachada soberba num belo estado de conservação, parecendo que foi acabada de pintar, a entrada é gratuita (atenção pois pode haver celebrações no interior).

Do outro lado da igreja, nesta bela praça do município além do belo edifício da Câmara municipal da cidade, temos também muito próximo os museus da arte contemporânea, os bilhetes custam apenas 3€ e o museu das ilusões  sendo aqui os bilhetes de 11€, com 50% de desconto caso tenham o cartão Vilnius Pass.

Continuando a descer (aqui sensivelmente há um café excelente com vários tipos de café, muito bom, não me recordo do nome), temos um grande edifício que é o museu de arte Nacional da Lituânia podem ver no site pois têm várias secções para visitar; nota para mais uma igreja ortodoxa (do lado direito), a igreja de St. “Paraskeva”, sendo a mais antiga da Lituânia; mais abaixo seguindo já na rua “Pilies”, que é a mais antiga e ornamentada rua da cidade, onde temos logo em destaque mais uma igreja, a de S. João, esta de estilo gótico, foi terminada em 1426, tanto a igreja como a torre sineira, fazem parte do complexo da universidade, sendo um local emblemático para os estudantes.

Se seguirmos um pouco mais do nosso lado direito vamos encontrar uma ruela estreita também muito famosa, a “literatu”, que basicamente é uma rua de arte, com mais de 200 obras de arte nas paredes; aqui próximo temos mais uma igreja, desta vez de estilo gótico, a Igreja de S. Ana e complexo Bernardino; um belo conjunto arquitectónico, de estilo gótico, aqui  localmente refere-se que como se aqui fosse a sagrada família de Vilnius…e na verdade há traços semelhantes, acho que vale a pena a visita, a entrada é gratuita.

 

Igreja de S. Ana, Vilnius

 

Interior da igreja S. Ana, Vilnius

 

Câmara municipal de Vilnius

 

Caminhando para o fim do centro histórico, já com a torre do castelo no horizonte, chegamos a um dos locais onde temos uma maior concentração de pontos turísticos, podemos deixar a subida á torre para mais tarde, talvez depois de almoçar por exemplo e seguimos até à praça da Catedral de Vilnius, logo de início com o monumento do grande duque “Gediminas” que foi dos governantes mais famosos do país. A catedral de Vilnius é sem dúvida  um dos monumentos a visitar na cidade, a sua torre redonda que não está ligada à basílica da catedral sendo que este campanário com cerca de 57 metros está “plantado” na praça ligeiramente em frente à mesma, é um dos símbolos da cidade, é aqui nesta catedral que está o túmulo do padroeiro, S. Casimiro; é de estilo neoclássico, tendo sido já reconstruída várias vezes, podemos visitar o seu interior gratuitamente e as suas catacumbas penso que também podem ser visitadas, não me recordo do preço (o site não está a funcionar), mas penso ser algo simbólico.

 

Torre da catedral de Vilnius

 

Catedral de Vilnius

 

Atrás da Catedral temos ainda o Palácio dos Grãos Duques, podemos apenas visitar por fora, pois é um palácio para eventos, reuniões ou jantares e conferências.

De frente para a Catedral temos uma rua pedonal (“Gedimino Pospektas”), com grande concentração de comércio eu quando estive lá pela primeira vez havia um mercado ao ar livre, com comida local muito tradicional e boa, podem ter sorte e aproveitar a mesma oferta, seguindo por esta rua temos ainda o museu do dinheiro da Lituânia e mais á frente depois de ver várias lojas de comércio podemos visitar o museu das ocupações e da liberdade, os bilhetes custam 4€ sendo grátis com o cartão Vilnius card.

Caminhando de regresso para visitar o Castelo temos o rio “Neris”, podemos passar para o lado mais moderno da cidade numa das belas pontes, e ver o contraste com o centro histórico, com edifícios altos em vidro de design moderno, passei apenas aqui de carro com o meu amigo que mora aqui, ele trabalha nesta zona mais  moderna onde a concentração de empresas e escritórios é bem maior.

 

Grande duque Gediminas, Vilnius

 

Com o monte e a torre do castelo no horizonte (torre “Gediminas”), podemos regressar a este lado da margem do rio, subindo ou a pé pela encosta que conta com um trilho de calçada medieval, cuidado pois com o piso molhado torna-se algo perigoso sem calçado adequado, ou podem ir de teleférico, sendo cada trajecto deste de 1€, o bilhete para subir à torre é de 5€.

Eu não subi à torre desta última vez pois estava fechada, embora só daqui do monte já tenhamos um vista fantástica sobre a cidade, com o rio, as pontes e os prédios da zona moderna da cidade como perspetiva, por certo ao subir mais uns metros à torre ficaremos com essa vista melhor ainda, e sobretudo sobre a parte antiga.

 

Bairro Uzupis, Vilnius

 

A torre Gediminas é a torre remanescente da fortificação do castelo superior, dentro dela além de subir ao seu topo, temos uma exposição com os modelos de reconstrução dos castelos de Vilnius; além da torre temos aqui uma grande área onde podemos contemplar esta vista magnífica.

Descendo novamente podemos ainda visitar junto deste monte com a torre Gediminas, o museu Nacional da Lituânia (Old Arsenal), sendo o bilhete de 4€ e grátis para o cartão Vilnius card; muito próximo temos o (new Arsenal), que é o museu das artes aplicadas e do design, aqui os bilhetes são de 5€ sendo também grátis com o Vilnius card.

Podem consultar aqui os preços de todos os museus, sendo este o site geral de museus (nas dicas tenho também o link geral, aqui é mesmo para os preços, notem que não refere o cartão Vilnius card).

 

Rio Neris, Vilnius

 

Aqui serão talvez os destaques de maior relevo no coração da cidade, contudo temos ainda mais para descobrir, temos outros locais de destaque na cidade, que podemos visitar, um deles é desde logo algo peculiar, fica próximo do centro apenas a cerca de 800 metros da catedral (próximo do bastião da muralha defensiva), já junto de um dos afluente do rio Neris, o rio Vilnia, temos um o bairro Uzupis, que é uma espécie de República, tendo inclusive a sua constituição ao longo de uma rua nas paredes (penso até estar em várias línguas), passei aqui de passagem na mini visita guiada do meu amigo.

Este bairro conta com uma estátua com 8.5 metros de altura que é o anjo de Uzupis, simbolizando a liberdade, fica numa rua pedonal deste bairro que agora é maioritariamente de artistas (outrora um bairro problemático), que em 1997 “reivindicaram”, o bairro, pelo que me disse o meu amigo é um bairro de espírito livre (tal como sucede com “Christiania” em Copenhaga).

 

Bairro e anjo Uzupis, Vilnius

 

Não muito longe do monte onde temos a torre do castelo, do outro lado deste rio Vilnia , que passa no bairro Uzupis, temos a colina das cruzes, onde temos no topo três cruzes brancas com cerca de 12 metros de altura.

A igreja de S. Paulo e S. Pedro, ligeiramente mais afastada do centro; o museu de caminhos-de-ferro pode ser visitado por apenas 1.8€, sendo este no piso 2 da estação central de comboios da cidade; o bairro do vidro, a galeria Nacional de Arte com bilhetes a 5€ e grátis com cartão Vilnius card; o museu de energia e tecnologia (bilhetes a 4€, grátis com o cartão Vilnius card); o museu MO, com bilhetes a 7€ (com desconto de 4€ com o cartão Vilnius Card); a sinagoga Choral (que é a única que ainda se encontra em uso na cidade); fazer uma visita ao mercado “Halés”; o memorial ao músico Frank Zappa e também um pouco mais distante da cidade temos o parque “Vingis”  e o parque regional “Pavilnys”, são mais alguns locais que podem visitar para complementar a visita a Vilnius.

 

Igreja S. Teresa, Vilnius

 

Igreja S. Casimiro, Vilnius

 

Interior igreja S. Casimiro, Vilnius

 

Em termos de eventos temos entre outros: o festival anual de moda em março, no fim de março e início de abril temos o festival de cinema; no dia 1 de abril temos o dia da independência da “república” do bairro Uzupis, onde este bairro se enche de eventos; já em Maio, no primeiro sábado ainda temos o festival de música de rua; em Julho e Agosto temos o festival internacional de verão Cristopher de Vilnius, sendo que no verão decorrem vários outros festivais mais pequenos e em Outubro o festival de Jazz.

 

Igreja S Nicholas, Vilnius

 

A gastronomia Lituana, não muda muito em relação aos vizinhos do báltico, embora tenha também forte influência da Polónia, eu aproveitei bem o mercado de rua com comida tradicional, a seca de peixe é algo que me surpreendeu, grandes e vários peixes secam ao ar (alguns com moscas à sua volta) e é algo bem, tradicional.

A batata, e o pão são muito presentes, os legumes em especial sazonalmente são muito utilizados as couves recheadas são muito comuns; as sopas têm um forte destaque também, sendo uma das mais famosas é Saltibarsciai, que é uma sopa fria de tom cor-de-rosa, à base de beterrabas marinadas, ovos e mais alguns legumes; os cogumelos também são bastantes comuns e muitos pratos são feitos com eles; um dos pratos mais populares é o Cepelinai, que é uma espécie de uma bola com massa de batata recheada por norma com carne de de porco, foi um destes que comi nesse mercado, numas das barraquinhas de comida.

 

Cepelinai, Vilnius

 

Trakai

Esta pequena vila merece um par de horas do vosso tempo, podemos ir caminhando tranquilamente por cerca de 20 minutos desde a estação de bus até ao castelo, admirando a beleza e calma que aqui se vive, se vierem no verão provavelmente será de uma beleza superior, pequenas casas que parecem ser muitas delas de férias, todas em madeira, podemos ainda ver algumas igrejas e um praça com o letreiro de Trakai, e chegamos então a este fabuloso Castelo, que fica numa ilha (apesar de ter acesso pedonal); O Castelo, que fica nesta ilha no lago Galve, lago este que pode ser desfrutado de duas formas diferentes, no Inverno ao congelar fica uma pista de patinagem (para quem sabe claro), já com o tempo melhor (embora podem fazer com o tempo menos favorável claro), podem alugar um dos vários barcos, ou simplesmente dar uma volta nos também vários que circundam a volta do castelo, eu quando fui, como estava de chuva não optei por isso, penso que os bilhetes para uma volta de 30 minutos eram entre 5 -7€.

 

Uma igreja em Trakai

 

Casas de madeira em Trakai

 

Castelo de Trakai

 

O castelo é de estilo gótico, originalmente do século XIV, sendo depois do seu desmoronamento ter sido restaurado em 1951; é das fortificações defensivas mais famosas da Lituânia, no verão pelo que o meu amigo que mora em Vilnius me disse, há imensas activities em especial Medievais; em Junho realiza-se um regata de remo.

Os bilhetes para visitar o Castelo são de 12€ (mais baratos de Outubro a Março,8€), penso que vale bem o valor, podemos contemplar muitas salas e o castelo é relativamente grande, no site oficial do castelo podemos ver os horários e algumas informações.

Além do castelo, próximo temos pequenas lojas de souvenirs e artesanato local, passear nas margens deste belo lago, ou simplesmente beber um café ou comer aqui será uma boa e agradável maneira de contemplar esta ilha com uma pérola medieval.

 

Castelo Trakai

 

Praça dentro do castelo de Trakai

 

Interior castelo Trakai

 

Interior de uma Fachada no castelo de Trakai

 

Dicas e Notas:

Para chegar até Vilnius temos de apanhar ligação, algumas opções são:

Pela Ryanair: Barcelona, Bremen, Bruxelas, Londres, Milão, Roma, Viena

Wizzair: Milão, Eindhoven, Dortmund, Londres, Liverpool; outra opção é voarem para Riga ou Tallinn e depois fazerem o percurso de bus, a empresa Lux express. Tem uma boa oferta e com qualidade, eu fiz de Riga para Tallinn. Caso façam voo para Riga por exemplo, podem seguir daqui para Vilnius, eu fui pela Air Baltic paguei na altura cerca de 25€ e o voo foi de 1h.

Do aeroporto de Vilnius para o centro da cidade podemos ir de bus ou comboio; as linhas 1 ou 2 de bus vão para o centro da cidade fazendo algumas paragens pelo meio, demoram cerca de 15 minutos, o bilhete custa 1€, podem comprar no bus, no entanto deixo o site oficial de transportes, pois poderá futuramente terem de comprar um cartão e recarregar. o bus para á frente do terminal numa paragem assinalada; o comboio demora apenas cerca de 8 minutos, e o bilhete cerca de 0.80€, a estação de comboios está próxima do terminal, temos apenas de atravessar e descer num elevador, os horários são menos, podem confirmar no site oficial.

 

Igreja S. Miguel Arcanjo

 

De Vilnius para Trakai, podemos ir de bus ou de comboio; de bus temos praticamente a todas as horas, sendo o bilhete cerca de 2€ e demora sensivelmente trinta minutos; de comboio demora também cerca de 30 minutos, e os bilhetes 1.8€, mas tem apenas três ou quatro ligações diárias; eu acho que o bus é mais prático, podem comprar o bilhete na estação sem problemas, assim como na estação de comboios, no entanto não tenho a certeza se pode ser mais barato online, no site de bus, ou de comboios têm mais informações de horários; as estações estão relativamente próximas uma da outra, sendo a de bus mais próxima do centro e do castelo e claro daqui podem apanhar o bus local.

Caso ainda tenham tempo, além de ir a Trakai, podem visitar a cidade de Kaunas, podemos ir de comboio, que demora cerca de 1h e custa cerca de 6€ ou de Bus, onde temos mais ofertas, mas podem por exemplo usar a mesma operadora que vai para Trakai, o bus demora cerca de 1h e 30 minutos e o bilhetes ronda os 7€.

 

Praça do município de Vilnius

 

Podem ter informações no site oficial de turismo, outro site de interesse é o oficial dos museus onde têm toda a informação destes museus que mencionei e outros que vos possam interessar.

Caso façam conta de visitar muitos museus e outros locais pagos, devem obter o cartão Vilnius Pass, têm descontos até 60% e outras entradas grátis como fui referindo no texto, temos de 24h; 48h e 72h os preços são de 18.99; 28.99 e 34.99, no site de turismo podem obter mais informações.

Vilnius é uma cidade relativamente barata embora, segundo um amigo que vive lá, tenha ficado algo mais cara depois do euro ser a moeda da Lituânia; no entanto conseguem preços acessíveis em alojamento e em alguns restaurantes, os transportes públicos são baratos.

A cidade é tranquila, tem bastante facilidade com o inglês principalmente em locais turísticos e restaurantes.

Na Lituânia, não precisamos de passaporte, o fuso horário é de mais duas horas em relação a Portugal, a moeda é o Euro; o indicativo telefónico é +370 e o domínio de internet é : .it

 

Para alojamento em Vilnius/Trakai, consulte aqui.

 

Reservas (click):

Booking – Alojamento

Get Your Guide– Tours, entrada em monumentos

Bestravel- Promoções de viagem

Rental Cars- Aluguer automóvel

Revolut- Cartão bancário sem taxas

Amazon– Artigos de viagem

Iati- Seguro de Viagem

 

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos nas redes sociais:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

PROMOÇÕES DE VIAGENS

ARTIGOS DE VIAGEM

SEGURO DE VIAGEM

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS