24 Jan

SALAMANCA, UMA DIVERSÃO CULTURAL

 

Salamanca, uma diversão cultural

Texto & Fotos de António Ribeiro

 

A cidade de Salamanca, que já visitei mais de seis vezes, é uma excelente escapadinha. Uma vez que sou de Viseu, costumo ir com grupos de amigos até esta pequena e encantadora cidade em Espanha, pois fica a apenas duas horas e meia de carro.

Também podemos chegar até aqui de Bus, tendo entre outros a Flixbus.com e a Alsa.es ou no comboio que vai para Madrid (não sei quando voltará a ser reaberto, os bilhetes eram comprados no site da Renfe); as estações ficam em locais diferentes, mas distam ambas cerca de 1.5km do centro.

 

Um posto de abastecimento mantendo a arquitetura antiga, Salamanca

 

Sendo esta cidade universitária a vida aqui é frenética, com uma vida noturna excelente, daí eu recomendar vir aqui também com um intuito de diversão noturna, mas claro esta cidade desperta paixões e este belo centro histórico é sinal disso, podemos passar pelo menos um dia inteiro a apreciar esta beleza do centro histórico e passar apenas um fim-de-semana em família.

Fico sempre no centro, por norma num hostel que desde já recomendo, o Revolutum hostel, que também tem um bar e fica bem perto da “Plaza Mayor”, de qualquer modo independentemente do alojamento escolhido, recomendo sempre um alojamento no centro.

A cidade pode facilmente ser conhecida a pé e descendo do centro até ao seu belo rio Tormes, as suas pontes (com destaque para a ponte Romana) e com espaços verdes à sua volta e onde daqui temos uma bela vista da cidade e onde podemos descansar e desfrutar do rio, para além da oferta cultural do seu centro histórico.

 

Vista de Salamanca da ponte Enrique Estevan

 

No centro temos a Plaza Mayor que embora mais pequena que a de Madrid para mim é mais bonita, é sem dúvida um ponto obrigatório quer de dia ou de noite, esta praça de estilo barroco do século XVIII é o ponto de referência da cidade e o centro de tudo.

Não muito longe temos o museu de tauromaquia e a igreja de “S. Martín”, também próximo, por baixo do arco de san Fernando ao descer uma rua, temos o belo mercado central, onde podemos comprar produtos locais.

Se seguirmos da praça pela rua “calle del prior” e a cerca de 50 metros chegamos até ao palácio ” Monterrey”, um monumento renascentista do século XVI, para quem quiser visitar, a entrada custa 5€. Ao seu lado, temos a Igreja “de la Puríssima”, construída no século XVII, é a parte pública que integra o convento das “Agustinas”, subindo nesta rua que sai do centro histórico juntos destes monumentos, ainda temos o parque San Francisco, e o convento com o mesmo nome.

 

Igreja de la Purisima, Salamanca

 

Voltando ao ponto de partida, seguimos por uma das mais famosas ruas em Salamanca, cheia de cafés restaurantes, comércio e artistas de rua, para além de ser das mais movimentadas (aqui bem próximo está o Hostel onde eu e os meus parceiros de Viagem costumamos ficar) a Rua Mayor, seguindo por ela na primeira intercepção com esta, temos a “Casa de las Conchas”, de estilo gótico com as “conchas” na fachada, é uma sala de exposições e uma biblioteca pública. Em frente temos a “Clerecia”, um imponente edifício de estilo barroco, que demorou quase 150 anos a ser construído e está inserida na Universidade  Pontifícia de Salamanca, que está aqui desde 1940; as torres da “Scala Coeli” (que integram a “Clerecía”) podem ser visitadas por cerca de 4€, tendo uma bela vista sobre a cidade e o seu rio Tormes.

 

Centro histórico Salamanca

 

Seguindo novamente na rua Mayor, antes de esta terminar e já com a Catedral Nova no horizonte, temos do nosso lado esquerdo a faculdade de filosofia de Salamanca e a Igreja de S. Sebastião; mais à frente do lado direito a Universidade (antiga) de Salamanca, a universidade mais antiga de Espanha e uma das mais antigas da Europa (pelo que li é a terceira); para visitar a entrada custa 10€, e lá dentro podemos visitar as escolas “de Mayores” e “de Menores”.

 

Fachada catedral nova Salamanca

 

Na Praça Anaya (onde também temos um palácio do mesmo nome), em frente então temos um dos principais pontos turísticos da cidade, a Catedral Nova de Salamanca, um belíssimo, exuberante e imponente monumento; esta catedral de estilo Gótico e Barroco foi terminada em 1733 (demorou dois séculos), foi das últimas catedrais góticas de Espanha, está ligada à Catedral Velha estando separada apenas por uma porta.

A Catedral Velha de Salamanca é de estilo Românico.

Para entrar em ambas as Catedrais o bilhete custa 5€, já para subir à torre custa 4€, e daqui contemplar uma bela vista sobre a cidade.

 

Catedral nova Salamanca

 

Uma pequena curiosidade sobre a catedral de Salamanca, devido ao terramoto que destruiu Lisboa em 1755, as torres sineiras da catedral também sofreram danos, tendo os sinos que serem tocados manualmente pelo que então todos os dias 31 de Outubro sobem à torre para tocar uma “Charrada”.

As catedrais de estilos diferentes formam o “Skyline”, da cidade, eu sou entusiasta deste tipo de cidades em que num ponto mais alto, existem monumentos emblemáticos que marcam o topo da cidade.

 

Igreja S. Estevão, Salamanca

 

Descendo da zona das catedrais até junto do rio Tormes, antes de chegar à margem, nota para o museu de arte, “Casa Lis”, que é um palacete modernista com uma das fachadas em vidro (virada para o rio), os bilhetes custam 5€.

A ponte Romana (“puente Mayor del Tormes”) tem um enorme destaque, daqui podemos ter uma vista fantástica sobre a cidade de Salamanca, com as catedrais delineando o seu topo. Podemos relaxar nesta zona do rio e nesta zona verde aqui junto, seguindo podemos voltar ao centro da cidade pela outra ponte, a ponte “Enrique Estevan”, uma ponte também bastante bonita, com os arco e de estrutura metálica, mais uma vez também daqui temos uma bela vista sobre a cidade.

 

Ponte Romana, Salamanca

 

Entrando novamente no centro de Salamanca, temos para ver ainda a Igreja “Carmen de Abajo”, a Caverna de Salamanca e com grande destaque, a Igreja de Santo Estevão (“San Esteban”), um grande edifício católico construído na sua maioria no século XVI, os bilhetes para visitar custam 4€, aqui ao lado o convento “de las Dueñas”, continuando a nossa subida temos a “torre del Clavero”, que pertence à ordem militar de “Alcantara”, sendo esta fortaleza do século XV e a torre quadrada que tem cerca de 28 metros sendo património histórico de Espanha.

Novamente no coração de Salamanca junto da Plaza Mayor, dou destaque ainda para visitar ainda a igreja de “Santo Tomás”, ali bem perto, na “plaza San Roman” temos o “Convento las Claras”, que foi remodelado no século XVI e lá dentro podemos ver belas pinturas de frescos nas paredes medievais, os bilhetes custam 4€.

 

Rua Mayor, Salamanca

 

Podemos ainda visitar os parques “Jesuítas”, ou o “Parque de la Alamedilla” para relaxar enquanto por exemplo bebemos um “café sólo”, que apesar de para mim não ser tão como o nosso vale a pena para despertar a mente.

Podemos percorrer mais esta cidade depois de lanchar (“Tapear”), ou fazer compras na rua “Calle Toro” (tem uma loja da Zara, que fica sobre ruínas de uma igreja), se tiverem tempo e para quem gosta de carros, podem visitar o museu da história automóvel,  que fica na praça do “mercado viejo”.

 

Catedrais de Salamanca

 

Na gastronomia como é sabido em Espanha as famosas “Tapas” são muito presentes na gastronomia, se puderem por exemplo ao fim da tarde vão “tapear” na esplanada de algum café ou restaurante; entre presunto, queijos e enchidos a oferta é grande, se tal como eu tiverem com grupo de amigos peçam vários pedidos e façam uma espécie de rodízio de tapas; para almoçar temos os menus, em que é comum ter dois pratos e sobremesa (“primero plato+ segundo plato + postre”), os preços rondam os 17€ (nos locais menos turísticos).

Tal como em Portugal, o porco a vitela e o cabrito/borrego e legumes são os principais alimentos, aqui a oferta de peixe não é tão grande pois já estamos mais afastados do mar.

Recomendo por exemplo as lentilhas com chouriço, a vitela grelhada que é muito boa (“ternera a la plancha”), o polvo na brasa (“pulpo”), os secretos de porco, entre outros além destes menus a “parrillada de carnes” e claro as Paelhas são de grande  qualidade.

Destaque também para os famosos presuntos ” guijuelo ”  (que é a zona onde são produzidos), podemos deliciar-nos com uma bela sandes de presunto para um lanche, junto hostel (próximo da Plaza Mayor) há uma loja que só vende presunto e sandes e é soberbo.

A Plaza Mayor tem bastantes restaurantes e cafés, mas como é óbvio são bem mais caros, percorram a cidade e vejam as inúmeras ofertas, com menus diários e tapas.

Para quem está de carro e gosta de presunto é possível ver fábricas e fazer degustação de bom presunto Ibérico ” Guijuelo “, ficam aqui duas ofertas na região de salamanca:  Jamon Turismo ; Guijuelo, ambas as ofertas ficam na cidade que lhe dá o nome: Guijuelo e fica a cerca de 50 km de Salamanca; caso gostem também de neve, depois do estômago  reconfortado com o presunto, podem seguir mais um pouco (cerca de 25km) e  encontram a estância de Ski da serra de Bejar.

 

Loja com sandes de presunto, Salamanca

 

A vida noturna desta cidade é bem grande e bem mais animada que em por exemplo aqui em Viseu, faz-me lembrar como no bairro alto em Lisboa… vários bares em que na maioria deles estamos todos de pé lá dentro, ou cá fora na rua conversando de copo na mão, as zonas perto do mercado, ou junto da Plaza Mayor e na Plaza Monterrey são as mais concorridas; a diversão é grande em todo o centro histórico e podemos descobrir mais bares pois a oferta é bem grande. Podemos entrar de bar em bar e beber as “cañas” que são as cervejas de pressão, (como nós chamamos os finos ou imperiais), enquanto ouvimos sempre música e por norma bastante dela é em espanhol.

 

Plaza Mayor – Salamanca

 

Não há muito a dizer de concelhos, como sabem em Espanha é mais uma hora que em Portugal, a moeda tal como aqui é o Euro, o indicativo é o +34.

Tenham cuidado pois a maioria dos ATM’ s mesmo de bancos espanhóis cobra taxa, eu costumo levar dinheiro ou uso o Revolut, e mesmo este não é livre de taxa em todos.

Para visitar Salamanca qualquer altura do ano é boa, as temperaturas e clima é semelhante á cidade onde vivo em Viseu, claro que dias de chuva seriam evitáveis, eu pessoalmente recomendo por meados de maio ou Setembro e Outubro, pois para além de termos ainda temperatura agradáveis, a vida noturna está ao rubro com os estudantes universitários e não temos grande pico de turismo; se gostarem de neve podem ir no inverno e além de uma visita ir até à estância de ski da serra de Bejar.

 

Plaza Mayor, Salamanca

 

Para quem vier de carro aconselho no regresso, após o check out que passe por Ciudad Rodrigo, uma pequena cidade em que podemos parar para fazer uma breve visita e por exemplo almoçar, sempre que aqui vim nos fins-de-semana, costuma haver sempre atividades dentro das suas muralhas, e tem um centro histórico bonito.

 

Ciudad Rodrigo

 

Ciudad Rodrigo

 

No site oficial de turismo ou no site Ver Salamanca, podem comprar bilhetes e consultar os horários de monumentos.

 

Para alojamento em Salamanca, consulte aqui.

 

Reservas (click):

Booking – Alojamento

Get Your Guide– Tours, entrada em monumentos

Bestravel- Promoções de viagem

Rental Cars- Aluguer automóvel

Revolut- Cartão bancário sem taxas

Amazon– Artigos de viagem

 

 

 

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos nas redes sociais:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

PROMOÇÕES DE VIAGENS

ARTIGOS DE VIAGEM

SEGURO DE VIAGEM

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS