9 Jul

“OH CANADA”! UMA PASSAGEM DE 4 DIAS POR ESTE GIGANTESCO PAÍS

 

“Oh Canada”! Uma passagem de 4 dias por este gigantesco país

Texto & Fotos de Mário Menezes

 

“Oh Canada”, assim começa o hino nacional desta enorme nação que tive oportunidade de visitar.

 

Aproveitando a minha viagem pela América do Norte em 2016, onde comemorei o meu 41º aniversário, de Nova Iorque, dei um salto ao Canadá, aceitando um convite de uma pessoa que fiz amizade dois anos antes quando estive em Copenhaga. Outro Mário, cujos pais vivem em Portugal e os filhos no Canadá. Um tipo que viaja pelo Mundo fora em trabalho pois é comissário da Air Canada. Entretanto tornou-se avô e o pai muito recentemente partiu. Enfim, a vida é mesmo isto…

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara

 

O Canadá é um país gigantesco, maior só mesmo a Rússia. A população, em número igual ao Estado da Califórnia, concentra-se praticamente a sul, em 1/3 do território, junto à Fronteira dos EUA. Um povo multiétnico e multicultural, extremamente hospitaleiro, educado, afável e civilizado. Isto pode ser constatado por exemplo na condução, onde não se vêem buzinadelas a protestar com outros condutores.

Durante estes dias convivi com habitantes cujas origens são de diversos países do Mundo: Portugal, Suécia, Eslovénia, Arménia, Itália, Índia, por exemplo.

Um país moderno, seguro e limpo. Com auto estradas a perder de vista, com várias faixas de trânsito e sem portagens.

 

Toronto-Câmara Municipal

 

Jamais irei esquecer a forma como aquelas pessoas me receberam e me trataram e as minhas experiências de viagens que com eles partilhei. Posso viajar sozinho pelo Mundo fora, mas por incrível que pareça, nestas viagens faço grandes amizades e já convivi de perto com várias famílias. Na Rússia e no Canadá!

 

Toronto-Vista para o centro da Cidade com a CN Tower em destaque

 

Os quatro dias que passei no Canadá, foram circunscritos à província do Ontário. Uma província cuja área supera a soma do território da França com a Espanha, e a parte dos lagos supera a área de Portugal Continental.

Niagara on the lake, Niagara falls, Toronto e Barrie foram os locais que conheci.

O Canadá foi um dos países que melhor me acolheu, e escrevo este texto como forma de eternizar a minha gratidão aos meus amigos que ali tenho e que tão bem me receberam e tão bem me trataram. À família do Mário, da Pina e da Jayne!

 

Niagara on the lake – Canadá

 

Niagara on the lake

 

Esta pequena cidade plantada à beira do Rio Niágara e do Lago Ontário salta para as bocas do Mundo todos os anos no mês de Janeiro devido ao “Ice wine fest”. Um festival dedicado ao vinho “ice wine”, que ali é produzido, sendo obtido através das uvas geladas. Um vinho doce, com pouca graduação alcoólica (cerca de 11%) e que é normalmente servido para acompanhamento de sobremesas ou mesmo dos famosos “marshmallow” assados numa fogueira.

 

Niagara on the lake -marshmallow assado na fogueira

 

Niagara on the lake – Canadá

 

Para o festival toda a cidade está engalanada e as adegas, com destaque para a Peller Estates, são o ponto de visita, tendo a possibilidade do visitante provar em cada uma a sua especialidade vinícola.

 

Niagara on the lake-Uma das adegas do Icewinwfest

 

Niagara on the lake-Uma das adegas do Icewine fest, provando Icewine

 

À noite não esqueço a jantarada que me foi oferecida por uma família Canadense. A Jayne, uma moça com origens na Eslovénia, um país que quero muito visitar, e tal como o filho mais velho, falava Português corretamente!  “Jambalaya” foi o menu e tão bem me soube recordar o filme do saudoso Robin Williams, que se vestia de avozinha, a hilariante cena do restaurante! Desde que vi esse filme que estava desejoso de provar esta iguaria!

 

Niagara on the lake – Canadá

 

Nos anos seguintes, com aquela família Canadiana anfitriã deste jantar e patrocinadora deste dia por aqui passado, temos feito sempre por esta altura, um “brinde à distância”. Eles desde o festival “Ice wine fest”, que visitam todos os anos,e eu, nos últimos anos, desde a China, Índia, Japão e Argentina, locais onde estive nesta altura, brindando com eles, mesmo com os efeitos da diferença horária!

 

Niagara on the lake-Jantar com aquelas pessoas maravilhosas que me acolheram muito bem no Canadá

 

Niagara Falls

 

As Cataratas do Niagara não podem faltar a quem visita o Estado de Ontário do Canadá. “Niagara falls” é o nome da cidade em que as mesmas podem ser observadas do lado Canadiano. A melhor e a maior vista é mesmo deste lado. A chamada “Cidade dos namorados”, dada a quantidade de entretenimento aqui existente e por ser um dos locais escolhidos pelos recém-casados, pois por ali situam-se vários hotéis com vista para as Cataratas.

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara-Foto com os amigos Canadianos

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara-apontando para os EUA

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara

 

Uma curta passagem ao final do dia serviu para conhecer aquela força da natureza, aquela maravilha da natureza.

Janeiro não é propriamente um mês alto para o turismo de massas, e desfrutar daquele local com poucas pessoas é ainda melhor. O som das quedas de água chega a ser ensurdecedor.
O local inspirou o poeta Cubano, José María Heredia, a escrever o famoso poema “Oda al Niágara”. No local está feita referência a este poeta e ao poema.
A visita às Cataratas do Niágara é um dos momentos mais importantes das minhas histórias de viajante.

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara-Placa de José María Heredia e ao seu poema

 

Por capricho do destino, visitei este ano as Cataratas de Iguazu, exatamente quatro anos depois de ter estado nas do Niágara!

 

Toronto

 

A maior cidade do Canadá. Um local ultra moderno. Limpo, seguro e acolhedor. É a cidade com maior diversidade étnica do Mundo. Não faltam inúmeros Portugueses e luso descendentes que por ali vivem.
Uma cidade tão moderna, que me fez lembrar o filme que vi há cerca de 30 anos, e que poderia muito bem ser ali passado, “Total Recall” com Arnold Schwarzenegger como personagem principal.

 

Toronto-O Alce, um dos símbolos do Canadá

 

Toronto-O Urso

 

Toronto-Vista da cidade junto ao Lago Ontário

 

A cidade é grande, mas em um dia conseguimos conhecer as ruas mais importantes que ficam concentradas na zona central. Fora da zona central existem várias zonas de moradias e edifícios mais baixos.

A zona central, onde predominam os arranha-céus, é dominada pela “CN Tower”, a imagem de marca da cidade.  Os seus 553 metros de altura tornam-na na atual 3ª torre de comunicações mais alta do Mundo. Lá de cima a vista, para um dos lados  sobre a área metropolitana e para o outro, a imensidão do Lago Ontário é a perder de vista.

 

Toronto-CN Tower

 

Toronto-CN Tower

 

A zona circundante da CN Tower com o seu ultra moderno complexo desportivo Rogers Center, um estádio multifuncional onde se disputam mormente jogos de basebol, mas que já recebeu outras modalidades como o futebol Americano e o Soccer, pois ele converte-se facilmente com a mudança de posicionamento das bancadas, assim como o teto que abre e fecha.

 

Toronto-Yonge-Dundas Square

 

A zona da CN Tower é apenas uma parte das infra estruturas ultramodernas e futuristas de Toronto que é bem visível de longe. A “PATH” está debaixo do chão. Os cerca de 30 Km de túneis que constituem a passagem pedestre entre vários pontos da cidade para que no Inverno seja possível percorrê-la sem sofrer as consequências das baixas temperaturas que muitas vezes rondam dos -30ºc. Uma cidade por baixo de outra cidade que funciona também como galeria comercial. A “PATH” de Toronto está no livro do Guinness como o maior complexo comercial subterrâneo do Mundo.

 

Toronto-Yonge-Dundas Square

 

A cidade é servida por modernos meios de transporte, com destaque para o metropolitano que chega aos principais locais.

 

A Câmara Municipal de Toronto é outro dos edifícios famosos. Ali no coração da cidade fica a “Yonge-Dundas Square” comparada à Times square de Nova Iorque.

 

Toronto-Câmara Municipal

 

A sala de concertos  Roy Thomson com a sua arquitetura futurista também foi um dos pontos de passagem.

 

Toronto-Sala de concertos Roy Thomson

 

Toronto é uma cidade que enche de orgulho os Canadianos. A sua modernidade, limpeza, segurança, qualidade de vida e baixa taxa de criminalidade, contrasta com muitas das cidades do seu país rival, os EUA.

 

Barrie

 

A cidade onde fiquei alojado no Canadá. A cerca de 100 Km de Toronto, percorridos sempre em auto-estrada sem portagem. Um local onde se respira ar puro e se está em contacto com a natureza, com uma qualidade de vida ao nível do melhor do Mundo. Com imensas moradias que parecem baixas, mas com vários pisos, em que os moradores nem precisam de fechar a porta da rua à chave, dado o nível de segurança existente.

 

Barrie-Lago Simcoe

 

Barrie-Lago Simcoe gelado

 

Um destino de vários Canadianos para fugir à confusão de Toronto. Seja no Inverno para a prática de ski ou para a pesca no Lago Simcoe que congela nesta época, seja no Verão para aqui desfrutar de belos dias de praia (lago) e de sol.

 

Barrie-A qualidade de vida Canadiana

 

Barrie-A qualidade de vida Canadiana

 

Para o ski, o Snow Valley Ski Resort é o local ideal. Mesmo quem não saiba esquiar, há sempre a possibilidade de escorregar com boias pelas pistas preparadas para este fim. Aqui é normal vermos autocarros cheios de jovens em idade escolar para aqui passarem os tempos livres que as escolas lhes proporcionam.

 

Snow Valley Ski Resort-pistas para as boias

 

Snow Valley Ski Resort-boias para escorregar na neve

 

Snow Valley Ski Resort

 

Barrie-Snow Valley Ski Resort

 

E nestas alturas de frio, o “poutine”, especialidade de batata frita, queijo fundido, coberto com um molho de carne, é o ideal para retemperar as forças e nos aliviar do frio.

Sem dúvida que o Canadá me encantou e um dia espero voltar para conhecer outras paragens como Ottawa, Montreal ou Vancouver.

 

Poema de José María Heredia, “Oda al Niágara”:

Emplad mi lira, dádmela, que siento

en mi alma estremecida y agitada

arder la inspiración. ¡Oh!! ¡cuánto tiempo

en tinieblas pasó, sin que mi frente

brillase con su luz!… ¡Niágara undoso;

tu sublime terror sólo podría

tornarme el don divino, que, ensañada,

me robó del dolor la mano impía!

Torrente prodigioso, calma, calla

tu trueno aterrador; disipa un tanto

las tinieblas que en torno te circundan;

déjame contemplar tu faz serena

y de entusiasmo ardiente mi alma llena.

Yo digno soy de contemplarte: siempre

lo común y mezquino desdeñando.

ansié por lo terrífico y sublime.

Al despeñarse el huracán furioso,

al retumbar sobre mi frente el rayo,

palpitando gocé; vi al Océano,

azotado por austro proceloso,

combatir mi bajel, y ante mis plantas

vórtice hirviente abrir, y amé el peligro.

Mas del mar la fiereza,

en mi alma no produjo

la profunda impresión que tu grandeza,

Sereno corres, majestuoso, y luego

en ásperos peñascos quebrantado,

te abalanzas violento, arrebatado,

como el destino irresistible y ciego.

¿Qué voz humana describir podría

de la Sirte rugiente

lo aterradora faz? El alma mía

en vago pensamiento se confunde

al mirar esa férvida corriente

que en vano quiere la turbada vista

en su vuelo seguir al borde obscuro

del precipicio altísimo; mil olas,

cual pensamientos rápidos pasando,

chocan y se enfurecen,

y otras mil y otras mil ya las alcanzan,

y entre espuma y fragor desaparecen.

¡Ved: llegan, saltan! El abismo horrendo

devora los torrentes despeñados;

crúzanse en él mil iris, y asordados

vuelven los bosques el fragor tremendo.

En las rígidas peñas

rómpese el agua; vaporosa nube

con elástica fuerza

llena el abismo en torbellino, sube,

gira en torno, y al éter

luminosa pirámide levanta,

y por sobre los montes que le cercan

al solitario cazador espanta.

Mas, ¿qué en ti busca mi anhelante vista

con inútil afán? ¿Por qué no miro

alrededor de tu caverna inmensa

las palmas ¡ay! las palmas deliciosas,

que en las llanuras de mi ardiente patria

nacen del sol a la sonrisa, y crecen,

y al soplo de las brisas del Océano,

bajo un cielo purísimo se mecen?

Este recuerdo a mi pesar me viene…

Nada ioh Niágara! falta a tu destino,

ni otra corona que el agreste pino

a tu terrible majestad conviene.

La palma y mirto y delicada rosa,

muelle placer inspiren y ocio blando

en frívolo jardín; a ti la suerte

guardó más digno objeto, más sublime.

E! alma libre, generosa, fuerte,

viene, te ve, se asombra,

el mezquino deleite menosprecia,

y aun se siente elevar cuando te nombra

¡Omnipotente Dios! En otros climas

vi monstruos execrables

blasfemando tu nombre sacrosanto,

sembrar error y fanatismo impíos,

los campos inundar con sangre y llanto,

de hermanos atizar la infanda guerra,

y desolar frenéticos la tierra.

Vilos, y el pecho se inflamó a su vista

en grave indignación. Por otra parte

vi mentidos filósofos, que osaban

escrutar tus rnisterios, ultrajarte.

y de impiedad al lamentable abismo

a los míseros hombres arrastraban.

Por eso te buscó mi débil mente,

en la sublime soledad; ahora

entera se abre a ti; tu mano siente

en esta ininensidad que me circunda;

y tu profunda voz hiere mi seno

de este raudal en el eterno trueno.

¡Asombroso torrente!

;Cómo tu vista el ánimo enajena!

y de terror y admiración me llena!

¿Do tu origen está? ¿Quién ferti!iza

por tantos siglos tu inexhausta fuente?

¿Que poderosa mano

hace que al recibirte

no rebose en la tierra el Óceano

Abrió el Señor su mano omnipotente;

cubrió tu faz de nubes agitadas,

dió su voz a tus aguas despeñadas

y ornó con su arco tu terrible frente.

Ciego, profundo, infatigable corres,

como el torrente oscuro de los siglos

en insondable eternidad…! Al hombre

huyen así las ilusiones gratas,

os florecientes días,

y despierta al dolor… ¡Ay! agostada

yace mi juventud; mi faz, marchita,

y la profunda pena que me agita

ruga mi frente de dolor nublada.

Nunca tanto sentí como este día

mi soledad y mísero abandono

y lamentable desamor… ¿Podría

en edad borrascosa

sin amor ser feliz? ¡Oh! ¡Si una hermosa

mi cariño fijase,

y de este abismo al borde turbulento

mi vago pensamiento

y ardiente adrniración acompañase!

¡Cómo gozara viéndola cubrirse

de leve palidez, y ser más bella

en su dulce terror, y sonreirse

al sostenerla mis amantes brazos…

Delirios de virtud… ¡Ay! ¡Desterrado,

sin patria, sin amores,

sólo miro ante mi llanto y dolores!

¡Niágara poderoso!

¡adiós! ¡adiós! Dentro de pocos años

ya devorado habrá la tumba fría

a tu débil cantor. ¡Duren mis versos

cual tu gloria inmortal! ¡Pueda piadoso

viéndote algun viajero,

dar un suspiro a la memoria mia!

Y al abismarse Febo en Occidente,

feliz yo vuele do el Señor me llama,

y al escuchar los ecos de mi fama,

alce en las nubes la radiosa frente.

 

Niagara falls-Cataratas do Niágara

 

Links:

Hino do Canadá

Ice wine fest

Mr Doubtfire (1993) – hot jambalaya scene

Poema de José María Heredia, “Oda al Niágara”

 

Barrie-Canada

 

Para alojamento, consulte aqui.

Para programas de viagem, consulte aqui.

 

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

SEGURO DE VIAGEM

ARTIGOS DE VIAGEM

PROMOÇÕES DE VIAGEM

RESERVA DE VOOS/ HOTÉIS

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS