MENU
26 Fev

O ENCANTO DE GENEBRA E O SEU LAGO

 

O encanto de Genebra e o seu lago

Texto & Fotos de António Ribeiro

 

A Suíça é um País que tem muito para oferecer, com paisagens deslumbrantes, um país montanhoso, conhecido pela neve os seus belos passeios de comboio onde podemos contemplar a beleza dos Alpes, a natureza aqui é deslumbrante, sobretudo para quem gosta de montanhas.

O chocolate, o queijo, a sua calma e civismo, podem ajudar a nos fazer descobrir este país que nem sempre é dos mais famosos para ser visitado, mas tem muito para ser visitado. Já passei por Genebra algumas vezes pois tenho por estes lados familiares, é uma das principais portas de entrada no país e merece uma visita, caso optem por visitar por uns dias a Suíça, podem começar por aqui e visitar outras cidades, ou simplesmente descobrir todas estas zonas montanhosas, regressando depois a Portugal.

 

Catedral S. Pedro, Genebra

 

Genebra

Da estação de comboios até à zona do jato de água e o seu respectivo lago Léman, são apenas cerca de 700 metros, podem fazer a maioria do centro histórico e seus principais pontos turísticos caminhando, talvez para ir á zona do palácio das Nações Unidas poderemos usar os transportes públicos, no site de transportes podem obter as informações e rotas; há também um pequeno comboio turístico que circunda o centro da cidade, mas lembrem-se que aqui é tudo caro, se tiverem tempo e sorte com as condições climatéricas, percorram esta cidade, que dá para conhecer fazendo uma caminhada.

Descendo da estação de comboio até à zona do lago, nota ainda para a Basílica de Nossa Senhora (Notre Dame), que é o principal templo religioso da cidade, foi construída entre 1852 e 1857, tendo sido recuperada em 1911; uma bela catedral de estilo gótico, que pode ser visitada gratuitamente, estando aberta praticamente todo o dia.

 

Igreja Notre Damme Genebra

 

Chegando à zona do Lago, além da sua beleza, com o seu jato de água que claro dá sempre para querer tirar uma foto à beira deste mítico local da cidade.

Junto do lago (basicamente entre o fim do lago Léman e a continuação do rio Ródano), temos em frente a ponte Monte Branco, do lado esquerdo, antes de atravessar a mesma, e percorrendo um pouco junto à margem, temos num pequeno parque onde podemos contemplar uma bela vista sobre a parte mais histórica e elevada da cidade, temos também o monumento de Brunswick, um bonito mausoléu de estilo neogótico em homenagem a Carlos II, mais á frente um outro monumento em homenagem à Imperatriz Austríaca Elisabeth “SISSI”; junto destes dois monumentos podemos fazer a travessia de barco (uns pequenos barcos, alguns amarelos, que fazem parte dos transportes da cidade), para o outro lado do lago, podemos comprar o bilhete no local, o bilhete de uma travessia é de 2CHF, ligeiramente menos de 2€, no site têm as rotas, horários e mais informações, é uma boa opção para daqui chegar ao outro lado do lago.

 

Lago ,jato de água e ponte mont blanc, Genebra

 

Barcos que fazem a travessia no lago (este não era amarelo)

 

Chegando ao outro lado do lago, destaque desde logo para o seu belo jardim inglês, onde podemos descansar em harmonia com este lago e claro um dos que é um cartão portal da cidade na entrada deste jardim, o relógio de flores (“L’Horloge fleurie”), está aqui desde 1955, tendo sido recentemente renovado em 2017, este relógio inserido num pequeno monte e uma pequena inclinação estando adornado com flores, é um local de paragem obrigatória; aqui próximo, também junto da entrada para o jardim, de frente para o lago, temos o monumento Nacional, uma estátua com duas mulheres com o escudo de Genebra e Helvécia, está aqui desde 1814.

 

Ponte Mont Blanc, Genebra

 

Antes de seguir para o centro da cidade, na sua zona histórica um pouco sobre o famoso jacto de água, o jacto de água atinge cerca de 140 metros de altura, sendo esta lançada a cerca de 200km/h, se fizermos uma das travessias de barco no lago temos uma perspectiva melhor deste imponente “canhão” de água; depois do jardim inglês, caminhando um pouco, temos um pequeno acesso onde temos barco uma espécie de parque de barcos, podendo admirar mais de perto este jacto de água emblemático.

A rua Rhône é a principal rua de comércio da cidade, com muitas marcas de luxo, sendo aqui o início do centro histórico da cidade.

 

Rua Rhône,Genebra

 

Subindo para o coração deste centro histórico, temos uma bela praça com bastantes esplanadas, a “place du Bourg-de-four”, esta é a praça mais antiga da cidade, aqui em frente temos a catedral de São Pedro, que se destaca pela sua torre com um topo num tom esverdeado e “pontiagudo”.

A catedral  é desde 1535 a principal igreja protestante da cidade (devido a em agosto deste ano ter sido proibida a missa nesta cidade).

Podemos visitar esta catedral, bem como subir os seus degraus até ao topo das torres, tendo também acesso ao museu da Reforma; os bilhetes para a visita são de 7 CHF, pouco menos de 7€, no site oficial da catedral podem ter mais informações. Podemos visitar junto da catedral, o sítio arqueológico, o bilhete custa 8 CHF, mas podem combinar este com a entrada na catedral e as torres bem como no museu da reforma, ficando assim a 18 CHF.

Catedral S. Pedro (fachada principal), Genebra

 

Ainda no coração da cidade velha, temos o museu “Maison Rousseau” e da literatura, uma homenagem ao escritor,filósofo e músico que nasceu em Genebra em 1712 e viveu aqui a sua infância, para visitar esta casa os bilhetes são de 5 CHF, no site oficial podemos ver todas as exposições e horários; bem próximo da câmara Municipal temos o Arsenal antigo, com a coleção de canhões, neste edifício está localizado o arquivo do Estado, e nas suas arcadas podemos ver os 5 canhões que protegiam as muralhas da cidade, bem como três pinturas Afrescos de Alexandre Cingria nas paredes; aqui próximo temos também a casa Tavel, que retrata a arquitetura medieval da Suíça,

 

Catedral S. Pedro – Genebra

 

Subindo um pouco mais e saindo desta cidade velha da cidade de Genebra, chegamos ao parque dos bastiões (Bastions), onde aqui nesta zona verde temos também a Universidade de Genebra, temos neste parque, logo na entrada, de frente para a cidade velha, o muro dos Reformadores, uma parede com as estátuas daqueles que foram os protagonistas da Reforma: João Calvino, Guilherme Farel, Teodoro de Beza e John Knox.

Passeando um pouco pelo parque dos bastiões, temos na sua entrada a Praça Nova, junto desta bonita praça, temos o museu  Rath, que foi o primeiro museu de belas artes na Suíça, foi inaugurado em 1826; a sua entrada custa 10 CHF;ainda temos aqui próximo grande teatro, também conhecido como a ópera de Genebra, no site podemos consultar os espetáculos; temos ainda aqui perto o conservatório de música.

No outro extremo do “parc des Bastions”, atravessando a “promenade Bastions”, temos o Palácio “L’Athénée”, que abriga a sociedade de artes desde 1863; caminhando para a rua “boulevard Helvétique”, temos um belo museu de Arte e História, foi construído em 1910 é um dos maiores da Suíça, conta com mais de 600 obras de arte e conta também com achados arqueológicos; a entrada custa 5 CHF, no site podem obter mais informações. Não muito longe deste museu, temos a igreja Russa (com as cúpulas douradas) e o museu de arte do extremo oriente, a “fondation Baur”, com bilhetes a 10 CHF.

 

Museu de Arte e História Genebra

 

Um pouco mais afastado do centro temos ainda locais de destaque, desde logo dois que ainda não ficam muito longe da praça Nova (place de Neuve), próximo da “avenue du Mail”, temos os museus de arte moderna, com os bilhetes a 15 CHF, cerca de 14€, e o MEG (museu de Etnografia de Genebra), sendo os bilhetes de 9 CHF.

Se tivermos a sorte de apanhar um dia de sol, podemos ainda ir para junto do lago, onde um pouco para lá do jacto de água, onde temos”praias”, onde por aqui se refrescam sobretudo jovens, é possível também beber um copo em alguns bares junto da parte em que o lago tem maior dimensão.

Nesta zona mais afastada da cidade depois de nos refrescarmos temos nesta zona o palácio Wilson,um majestoso palácio em frente ao lago Léman e o lindíssimo Mont Blanc no seu horizonte, este palácio que outrora fora um hotel dos finais do século XIX, sendo posteriormente a sede das Nações Unidas.

Mais à frente temos o parque “Mon Repos”, um local agradável para descansar junto do lago, sendo um parque muito popular na cidade, sendo quase uma porta de entrada, uma vez que aqui já estamos a sair do centro da cidade (na rua de Lausanne), ainda neste parque temos o museu de História das Ciências, que conta com exposições de artefatos científicos antigos e raros, a entrada é gratuita.

Continuando pela rue de Lausanne mais à frente do lado esquerdo também em frente ao lago do outro lado desta artéria de entrada e saída de Genebra, temos o jardim botânico (podemos ir de Tram pela linha nº1, ou bus nº 25 sendo a paragem “jardin Botanique”); no Jardim, podemos ver o conservatório do mesmo, admirando assim mais de 12.000 espécies de plantas e flores, a entrada é gratuita podem ver a informação no site do conservatório do jardim botânico.

 

Rua centro histórico Genebra

 

Atrás do jardim botânico, temos o parque Ariana, neste enorme parque contamos com um punhado de atrações, desde logo o Museu Ariana, que abriga as coleções e história da cerâmica e vidro da cidade, com uma arquitetura maravilhosa, no site oficial podem consultar os preços pois depende das exposições que pretendem ver (é gratuito com o cartão citypass da cidade), tendo assim várias tarifas de entrada.

Outro local aqui em destaque é claro está o Palácio das Nações Unidas (escritórios), podemos passear na sua enorme praça com os jactos de água alinhados tal como as bandeiras dos países, a sede das Nações Unidas, num edifício de arte moderna; do outro lado temo o Palácio das Nações e em frente a este temos ainda um monumento de destaque a “broken Chair”, esta enorme estátua de uma cadeira partida, uma obra de arte moderna, do século XXI, tem cerca de 12 metros de altura e o peso de toda esta madeira é de cerca de 5 toneladas e meia; ainda temos no meio deste grande parque Ariana, outra obra de arte, o memorial da Esfera Celestial (com quase 4 metros de diâmetro), após esta caminhada podemos procurar um local para um café e talvez um belo chocolate suiço; também não muito longe, nesta zona podemos visitar o museu internacional da Cruz Vermelha bilhetes a 15 CHF.

 

Igreja Russa, Genebra

 

Caso a vossa estadia dê para isso ainda podem ver: no parque dos bastiões, o palácio Eynard; o museu Patek Philippe, que fica próximo do museu de arte moderna e do MEG, este museu é para os amantes de relojoaria, onde podemos contemplar maravilhas de relojoaria, bem como uma biblioteca sobre esta arte e toda a paixão por relógios, o preço de entrada é de 10 CHF; ligeiramente mais afastado da cidade, já um pouco para lá do aeroporto, temos o CERN que é o centro de organização de pesquisa Nuclear, para chegar aqui podemos apanhar o Tram nº 18 (a paragem tem o seu nome CERN).

Podemos perder ainda mais tempo no centro da cidade ou na paz e harmonia junto do lago, a serenidade que aqui se vive contrasta com a nossa forma, mais barulhenta e de “sangue quente”, a calma o silêncio, quase toda a gente tenta não incomodar os demais.

 

Monumento de Brunswick, Genebra

 

Vou dar destaque também a um castelo que merece uma visita, embora já não seja em Genebra, o castelo Chillon; este belo castelo fica basicamente do outro lado do enorme lago Léman, em Montreux, podem chegar aqui de comboio, sendo a viagem de cerca de 1h e meia, sendo aliás a estação local bem próxima ao castelo, podem ter de trocar de comboio em Lausanne, pelo que poderão ver a melhor forma de fazerem uma paragem maior podendo assim visitar também está cidade Suíça (eu vim até este castelo com os meu familiares de carro, sendo a viagem bastante agradável, pois temos paisagens fantásticas, no meio de montanhas e com o lago sempre perto), o “Chateau Chillon” é um castelo medieval, que fica sob um rochedo enorme dentro do lago, é o monumento histórico mais visitado de toda a Suíça, data do século XIII e é sem  dúvida um local fantástico para visitar (uma curiosidade é que é possível alugar o mesmo para eventos), o bilhete para visitar esta bela fortaleza medieval é de 13.5 CHF, cerca de 12.5€.

 

Castelo Chillon- Suiça

 

Dentro do castelo Chillon- Suiça

 

Castelo Chillon- Suiça

 

Em termos de gastronomia, Genebra tem desde logo a referência para a doçaria, o seu famoso Chocolate, podem encontrar muitas lojas específicas para a venda dos mesmos, mas a menos que queiram impressionar ou tenham o orçamento largo, recomendo uma ida ao supermercado, pois aí encontram boas marcas e a um melhor preço (como aqueles típicos pequenos quadradinhos, com fotos da Suíça), uma maneira mais económica de comer o afamado chocolate suíço.

Para as refeições, são algo elevadas na cidade, tentem encontrar o “plat du jour”, em que o menu já tabelado tem preços mais acessíveis, ficando estes a cerca de 20 CHF, um pouco menos de 20€; o queijo é o rei, sendo claro está o fondue muito tradicional, outro prato bem famoso é a “Raclette”, que apesar de ser originário desta zona, também nas zonas próximas de França como em Annecy (e toda a zona da Sabóia) e talvez um pouco por toda a França, é bem tradicional; basicamente é uma espécie de fondue de queijo, onde derretemos fatias de vários tipos de  queijo, acompanhando com vários tipos de enchidos, presuntos e fiambre com batata cozida, e por vezes alguma salada e legumes da época.

Um prato também típico é o “Cordon Bleu”, com o seu recheio de queijo e fiambre, por norma acompanha com batata frita; aliás a batata tem uma forte presença na culinária por estes lados.

 

Jato de água Genebra

 

O Alojamento apesar de aqui ser mais caro podem encontrar hotéis Com preços de quartos duplos a partir de 60€ – 70€ por noite (próximos do centro) Embora no centro Histórico seja ligeiramente mais caro, para quem viaja sozinho, A oferta de hosteis é pouca, mas a cerca de 1,5 m do centro temos um hostel em que podemos dormir por cerca de 35€.

 

Dicas e notas:

Temos voos diretos para Genebra desde Portugal; a Easyjet oferece mais alternativas e horários, voando do Porto, Lisboa e Faro; pela TAP, também temos voos diretos para Lisboa.

Do aeroporto para a cidade, basta na porta de saída, carregar no botão de bilhetes, sendo a viagem gratuita, todos os comboios param em Genebra centro, sendo a primeira paragem depois do aeroporto e demora cerca de 7 minutos; na viagem de regresso, o bilhete custa sensivelmente 3€- 3 CHF, a viagem pode ser feita também por bus, há mais que uma linha que pára no aeroporto, a 10 e 5, são algumas delas, no site de Transportes, podem consultar informações, sendo a viagem de cerca de 15-20 minutos; penso que de comboio será mais prático.

Os cidadãos portugueses não necessitam de passaporte ou visto, recomenda-se ter o cartão europeu de doença, que podem pedir gratuitamente na segurança social, ou claro um seguro de saúde, dado aqui os preços serem muito elevados sobretudo na saúde.

A cidade é bastante cara, comparada com Portugal, podem ver no site Numbeo a comparação de preços para terem uma ideia do que podem gastar. Uma boa alternativa para uma refeição mais ligeira são os supermercados (como o Migros), que têm refeições embaladas, saladas etc, sendo também comum ver locais a comer as mesmas nos jardins, ou junto ao lago.

 

Monumento Nacional Genebra

 

A moeda é o Franco Suiço, 1€ – 1.089 CHF; o indicativo telefónico é +41, o Domínio de Internet é:.ch

Site de turismo Genebra ou do site oficial da Suíça poderão ser úteis.

Caso queiram visitar muitos museus podem adquirir o “Geneva City Pass”, é uma boa opção, têm três modalidades, sendo a de 24h com o preço de 37 CHF, cerca de 34€, tem descontos em transportes e entradas nos museus museus que referi (muitos dos que falei e outros ficam com entrada grátis com este cartão) e noutro locais turísticos da cidade; no site de turismo de Genebra temos mais informações (no separador de planear a viagem/ City pass), podendo até fazer download com a lista dos descontos dos museus e vantagens.

Apesar de o Inglês não ser língua oficial, a maioria das pessoas falam, eu usei Francês por vezes, mas comunicar em Inglês não é muito difícil por aqui.

Na suíça por norma apenas se aceitam francos suíços, por isso tenham alguns com vocês de início, podendo levar em numerário de portugal pedindo no vosso banco, ou levantar no Atm no aeroporto, se possível usem cartões como o revolut, N6, Bunq, Moey, entre outros que têm menos taxas.

 

Ponte Mont Blanc, Genebra

 

Uma sugestão caso queiram visitar outras cidades além de Genebra será ter esta como ponto de partida (ou destino final), dado que esta cidade fica num dos extremos da Suíça e podemos ir até á sua capital Berna, Basileia ou até Zurique (que fica já próximo da fronteira da Alemanha), temos voos diretos para Basileia e Zurique também, podemos comprar bilhetes de comboio com combinações para visitar várias cidades do país.

Em Basileia também podemos ver algumas atrações de relevo desde logo a sua bela catedral gótica Minster, o museu de belas artes, o museu Tinhguely, o seu centro histórico, como por exemplo a câmara municipal, a ponte sob o belo e famoso rio Reno, entre mais locais que podemos conhecer nesta simpática cidade.

Zurique é uma cidade muito bonita, que confesso tenho vontade de conhecer, uma espécie de Veneza na Suíça, O seu belo lago, a rua Bahnhofstrasse, o museu nacional Suíço, Todo o seu belo centro histórico e as suas igrejas entre outros.

A sua capital Bern, banhada pelo rio Aar, onde além do seu belo centro histórico, podemos contemplar a sua bela Catedral, a torre do relógio (Zytglogge), o palácio federal da Suíça, o museu histórico entre outros locais que nos farão contemplar a visita a esta capital.

Caso queiram descobrir um pouco mais há volta de Genebra, além do castelo Chillon, mas aqui já do lado Francês, têm a cerca de 50 km daqui uma bela cidade de seu nome Annecy, conhecida como a Veneza dos Alpes; podem chegar aqui facilmente de bus, desde a gare Routiere, que fica próxima da de comboios, a viagem demora cerca de 1h e 30 minutos, com os bilhetes entre 5€ – 8€, temos ofertas pela Flixbus, pela Transalis e pela La Region Savoie. Podem também ir de comboio, mas acho ser mais prático e barato o bus.

 

 

Reservas (click):

Booking – Alojamento

Get Your Guide– Tours, entrada em monumentos

Bestravel- Promoções de viagem

Rental Cars- Aluguer automóvel

Amazon– Artigos de viagem

Iati- Seguro de Viagem

 

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos nas redes sociais:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

PROMOÇÕES DE VIAGENS

ARTIGOS DE VIAGEM

SEGURO DE VIAGEM

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS