3 Jul

HELSÍNQUIA (FINLÂNDIA)- UMA LINDÍSSIMA MANHÃ DE INVERNO

 

Helsínquia – Uma lindíssima manhã de Inverno

Texto & Fotos de Mário Menezes

 

A Finlândia é tido como um lindíssimo país. Segundo dizem, é o país dos mil lagos. Helsínquia é seguramente o seu parente pobre.

A cidade é pequena e tem pouco interesse. Uma manhã é mais que suficiente para percorrer os seus pontos principais.

Quem visita Helsínquia, em geral, fá-lo de passagem. Numa escala em cruzeiro, ou em  trânsito desde  São Petersburgo ou das Capitais Bálticas (Tallin, Riga e Vilnius).
No meio de tantas cidades bonitas, com a cidade dos Czares a ganhar com larga vantagem a todas, percebe-se porque motivo a capital Finlandesa seja alcunhada de “Feíssima cidade”.

 

Helsínquia – Finlândia

 

Os habitantes têm uma educação e uma simpatia fora de série! Todos falam Inglês. Os países do Norte da Europa são dos mais civilizados do Mundo e onde a corrupção é praticamente inexistente. Acima disto só os Nipónicos!

Ao Sistema de  Educativo da Finlândia, Michael Moore já se referiu no seu filme, o documentário “Where to Invade Next”.

 

Helsínquia-Marina

 

Helsínquia-Mar Báltico gelado

 

Um local extremamente caro: Transportes, comer e dormir. A entrada no Euro, segundo se queixam os Finlandeses, fez aumentar sobremaneira os preços. Muito mais caro que Estocolmo, a capital Sueca, onde tinha estado anos antes.
Ao contrário de Helsínquia, Estocolmo é um encanto! Bem maior e necessita de muito mais dias para ser visitada.

 

Helsínquia-Modernos elétricos rápidos. Eficientes meios de transporte

 

A minha curta passagem por Helsínquia foi no primeiro dia de Fevereiro de 2012,altura em que visitei os países Bálticos. Ale dormi uma noite.  No dia seguinte, ao início da tarde, seguiria de comboio para Turku, cerca de 2 horas de viagem, para daí tomar o voo para Gdansk (Polónia).

 

Helsínquia – Finlândia

 

Já o sol se tinha posto e ali desembarquei de um Ferry Boat da Eckerö Line, uma viagem com cerca de 4 horas desde Tallinn pelo o Mar Báltico.

 

Helsínquia-Mar Báltico gelado

 

Helsínquia-Ferry boat à partida de Tallinn

 

Helsínquia-Ferry boat à partida de Tallinn

A manhã seguinte começou ainda de noite. À boa maneira Finlandesa não poderia deixar de fazer uma sauna. A sauna que foi criada por estes povos do Norte da Europa, existe em quase todos os cantos. Até nos aeroportos! Grande parte dos prédios possuem uma sauna comum para todos os moradores. Os hotéis, e os hostels não fogem a essa regra.

 

Helsínquia-Nascer do sol do lado do mar

 

Depois de tomar o pequeno almoço buffet saí para a rua. Vyökatu, o nome da paragem do elétrico junto ao hostel onde deixei a bagagem. Vyökatu um nome estranho que jamais conseguiria fixar. Tive de o levar escrito num papel por uma funcionária da receção! Tal como o nome estranho de “Katajanokka”, a zona da cidade a que pertence aquela rua. O Finlandês é das línguas mais difíceis de aprender. Eles reconhecem isso.

 

Helsínquia-Venda de peixe

 

Ali nas imediações está localizada parte da zona portuária e a marina. O sol nascia do lado do mar e segundo me disseram, estava uma bela manhã de inverno, uma expressão local. O céu azul contrastava com o branco das ruas e do mar que estava gelado. O edifício da Câmara Municipal de Helsínquia (Helsingin kaupungintalo) fica mesmo de frente para o mar e as bancas de venda de peixe, espécies nórdicas como salmão ali abundam. À mesa por aqueles lados, devido à influência Sueca, pois o Sueco naquela região também é língua oficial, o “Smörgåsbord”, uma refeição em self service onde se consomem inúmeras variedades de peixe, é rei.

 

Helsínquia-Câmara Municipal

 

Os dois edifícios mais conhecidos de Helsínquia são as majestosas Catedrais: A Catedral Evangélica Luterana (Helsingin tuomiokirkko) e, a Catedral Ortodoxa, de Uspenski.

 

Helsínquia-Catedral de Uspenski

 

Helsínquia-Catedral de Uspenski

 

Pelas ruas de Helsínquia nos tempos da Guerra fria foram rodados vários filmes cuja ação decorria na Rússia. “White nights” de 1985, é disso um exemplo. O filme que relata a vida de Mikhail Baryshnikov, um bailarino Soviético que consegue fugir durante a sua atuação no teatro Kirov (atual Mariinsky) em Leninegrado (atual São Petersburgo) , para a embaixada dos EUA e desertar daquele regime Comunista. Uma das cenas da sua parte final, mostra uma perseguição automóvel, que entra por uma rua que dá acesso à Catedral de Uspenski.

 

Helsínquia-Local onde o filme White nights tem uma das cenas finais

 

A Catedral Evangélica Luterana fica no local mais visitado da cidade. Um edifício que sobressai lá no alto da Praça do Senado. Ali existem outros edifícios de arquitetura neoclássica o da Universidade de Helsínquia e um conjunto de outros edifícios governamentais.

 

Helsínquia-Edifício Governamental junto à Catedral Evangélica Luterana

 

Helsínquia-Catedral Evangélica Luterana

 

O Estádio Olímpico de Helsínquia foi a a paragem seguinte. Este estádio de futebol que juntei ao meu palmarés foi palco dos Jogos Olímpicos de Verão de 1952. Na altura albergava cerca de 70.000 espetadores, sendo atualmente a lotação cerca de 42.000. Consegui entrar e ver o relvado e as bancadas, tudo coberto com um enorme manto de neve.

 

Helsínquia-Estádio Olímpico-Interior

 

Helsínquia-Estádio Olímpico-Exterior

 

Um passeio pelas áreas verdes do Parque Central de Mäntymäki junto ao Lago de Tölöviken  foi a última parte desta manhã Invernal. As zonas verdes que afinal eram brancas, tal como as águas do lago que se encontravam congeladas. Assim ficou marcada a minha despedida de Helsínquia e da Finlândia.A estada foi curtíssima, faz parte dos países que visitei por menos de 24 horas, mas ficou marcado com foi o local do Mundo mais a Norte em que estive!

 

Helsínquia- Parque Central de Mäntymäki – Lago Tölöviken

 

Helsínquia-Helsínquia- Parque Central de Mäntymäki

 

Links:

Travessia entre Tallinn e Helsínquia: A companhia Eckeroline possui alternativas mais rápidas (catamarã) e mais demoradas (ferry boat). No meu caso que saí de Tallinn ao final do dia, escolhi a mais económica. Existe também a possibilidade de viajar passando a noite a bordo o que pode ser vantajoso pois a estada em Helsínquia é muito cara. Ao final do dia é possível regressar a Tallinn. Esta para mim é a melhor forma de conhecer Helsínquia.

Hostel:Escolhi o Eurohostel que se revelou uma escolha perfeita.

Companhia de comboios Finlandesa» aqui.

Voos: A companhia aérea low cost Wizzair voa para vários destinos, desde Turku, a cerca de 2horas de Helsínquia, viajando de comboio.

A Educação na Finlândia segundo o documentário de Michael Moore “Where to Invade Next”.

 

Helsínquia-Comboio para Turku. Este não era para ir trabalhar

 

Para alojamento, consulte aqui.

Para programas de viagem, consulte aqui.

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

SEGURO DE VIAGEM

ARTIGOS DE VIAGEM

PROMOÇÕES DE VIAGEM

RESERVA DE VOOS/ HOTÉIS

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS