30 Jun

DUBLIN (IRLANDA) – CIDADE CHEIA DE PUBS E DE VIDA

 

Dublin-Cidade cheia de pubs e cheia de vida

Texto & Fotos de Mário Menezes

 

Dublin foi a parte final de uma viagem de 11 dias pela Europa no Inverno de 2011.

Aqui passei 3 dias que foram suficientes para conhecer os pontos mais importantes. Na realidade era só 2 noites que tinha planeado, mas à última hora, a alteração do voo de regresso a casa, por parte da companhia aérea para o dia seguinte, obrigou-me a prolongar a estada. Foi um mal que veio por bem pois dois dias, no Inverno em que às 17 horas anoitece, ficava curto.
Adquiri um “Dublin pass” de 3 dias e usei-o o mais que pude.

Dublin-Câmara Municipal

 

Dublin- Monumento The spire em OConnell Street

 

A Irlanda tida como uma nação muito bonita, é verde vista do ar, o que verifica  quando nos preparamos para aterrar no Aeroporto Internacional de Dublin. Um voo com cerca de 3 horas desde Cracóvia, a bordo de um Boeing 737 operado pela Ryanair mas marcado na Aer lingus.

A cidade, com traços arquitetónicos Britânicos, ruas estreitas e com prédios baixos, onde circulam autocarros de 2 pisos, o trânsito à esquerda, é bem menor que a Capital do Reino Unido, ao qual deixou de pertencer há cerca de um século.

Em Dublin o céu é sempre cinzento e chove quase todos os dias.  A cidade tem vários canais e várias pontes sobre o rio Rio Liffey. A Ponte Samuel Beckett, em homenagem ao famoso dramaturgo é a mais famosa. Uma ponte em forma de harpa, instrumento musical que é um dos símbolos do país.

Dublin é um paraíso de pubs. Há centenas. Há inclusivamente uma piada, quando procuramos algum local, “fica junto a um pub” e ficamos na mesma sem saber onde é!  Um pub é um local onde além de bebidas também serve típicas refeições.

Os guisados são os pratos mais confecionados. O guisado de borrego Irlandês (Irish lamb stew) servido num pote é o prato Nacional. Existe também um guisado típico de carne de vaca com puré de batata. A sopa de legumes Irlandesa (Irish style farmhouse vegetable soup) também é típica. A manteiga e o pão fatiado são sempre colocados na mesa. Tudo acompanhado, tradicionalmente, por uma cerveja Guinness, como não poderia deixar de ser. Tudo delicioso, mas nada barato. Dublin é uma cidade cara. A Irlanda é  uma ilha e os salários praticados estão ao nível dos mais altos da Europa.

 

Dublin – guisado típico de carne de vaca com puré de batata.

 

“Temple bar”, é o nome do bairro central da cidade, e também de um pub famoso, talvez o mais conhecido. Naquelas ruas todos as noites parecem as noites de Sábado! Os irlandeses são um povo festeiro, parecidos com os latinos, completamente diferentes do Britânicos.

A cerveja Nacional, a Guinness, que é preta, é a rainha de todas as cervejas, e por ali há várias marcas. Não sendo um apreciador deste tipo de cerveja, durante a minha estada em Dublin bebi todos os dias Guinness e naquele ambiente soube-me sempre bem. Cerveja de barril, pois por cá quando compro cerveja Guinness de lata ou de garrafa, não me sabe bem!

 

Dublin-Guinness Storehouse -instalações fabris

 

Dublin-Guinness Storehouse- vista para a zona fabril desde o topo do Gravity bar

 

A sede da Guinness, a Guinness Storehouse é o local mais visitado em Dublin. A cerveja fabricada ali, é quase única e exclusivamente com matéria-prima da região, sobretudo a água do Rio Liffey, das suas nascentes nas Montanhas Wicklow. O malte e a levedura também são de origem Irlandesa. O lúpulo é importado da República Checa.
Ali funciona a fábrica, mas a visita não é às instalações industriais. É a um edifício adjacente, onde ao longo dos vários pisos aprendemos imensas coisas sobre o fabrico daquela cerveja, o seu fabrico, a sua história, a temperatura a que deve ser armazenada (9ºc) e a temperatura que deve ser servida (6ºc). A visita termina no topo do edifício onde existe um bar, o Gravity Bar, onde nos é oferecida um “pint” que poderemos saboreá-lo  ali junto dos vidros desfrutando da vista panorâmica sobre a cidade. “Cheers”!!!!!

 

Dublin-imediações da Guinness Storehouse

 

O whisky também é rei por aqueles lados. Uma visita à Destilaria de Old Jameson é um “must” para os apreciadores desta bebida. Um local que nos mostra a forma como o whisky é produzido, desde a sua fermentação, processo semelhante ao fabrico da cerveja na fase inicial, à posterior destilação, sendo que o whisky Irlandês é destilado por 3 vezes. A prova de vários whiskies faz parte do pacote e a certificação de presença também é a recordação dada aos turistas para guardarem no seu currículum vitae para a posteridade. Eu descobri qual dos whiskies era o Irlandês de entre outros, o Americano e o Escocês, que sofrem menos destilações, e sou portanto um expert!
Para os mais endinheirados, há garrafas que poderão adquirir e custam alguns milhares de Euros.

 

Dublin-Destilaria de Old Jameson – entrada

 

Dublin-Destilaria de Old Jameson-interior.

 

A visita ao Museu da Cera também é muito interessante, e como estava incluída no “Dublin pass”, não perdi a oportunidade. Não tendo a grandeza e marca de “Madame Taussaud´s” não deixa de conter inúmeros famosos com quem é sempre um prazer posar.

A Irlanda é o país dos U2 e dos Cranberries. De Roy Keane e George Best.  Posar com estes famosos não acontece todos os dias. Com políticos famoso ou com assassinos de filmes de terror, é sempre divertido posar!

 

Dublin- Museu de cera- Os U2

 

Dublin-Museu da cera-George Best

 

Dublin- Museu da cera-Roy keane

 

O Castelo de Dublin local em tempos ocupado pelos Vikings, também foi fortaleza militar, residência real, sede do Tribunal de Justiça Irlandês e sede da Administração Inglesa na Irlanda. Hoje funciona como local para a realização de eventos do Estado. Na sala de trono ocorrem esses atos solenes que tantas vezes vimos nas TVs nos anos da “Troika”, pois a Irlanda era um dos “PIGS”.
Neste local podemos saber mais sobre a História de Dublin e da Irlanda percorrendo as várias salas que o tour nos proporciona.

 

Dublin-Castelo

 

Dublin-Castelo-Sala do trono

 

Dublin-Castelo

 

Todas as cidades faço questão de passar pela Câmara Municipal, uma vez que em Portugal sou funcionário de uma, e este edifício em Dublin foi alvo da minha passagem. Uma foto nas escadas de acesso e outra no hall de entrada onde se encontra o famoso brasão da cidade, circundado de estátuas, algumas das mais antigas esculpidas em 1772.

 

Dublin- Câmara Municipal- Brasão da cidade no interior

 

Dublin-Câmara Municipal-fachada

 

A antiga prisão localizada no bairro de Kilmainham, conhecida por “Kilmainham Gaol” serviu para encarecerar ao longo de mais de 100 anos, muitas pessoas que lutaram pela independência da Irlanda.  O Filme “Em nome do Pai” com Daniel Day-Lewis nos principais papéis foi rodado ali dentro.

 

Dublin- Prisão de Kilmainham – entrada

 

Dublin- Prisão de Kilmainham – cela

 

Dublin-Prisão de Kilmainham. Ali esteve preso Daniel Day Lewis no filme “Em nome do pai.”

 

A Catedral de São Patrício é a igreja mais importante. Não poderia ser de outra forma, pois São Patrício é o padroeiro da Irlanda.O dia da sua morte, 17 de Março, é chamado de “St Patrick´s day”, é o dia Nacional da Irlanda, celebrado em todo o Mundo.

 

Dublin-Catedral S. Patrício

 

Dublin-Catedral S. Patrício

 

Um passeio pelo Phoenix Park não pode faltar. Este é o maior parque urbano da Europa. A sua área equivale a uma circunferência com 16 Km de perímetro. Supera o famoso Hyde Park Londrino!

“Leinster House”,onde funciona o Parlamento, foi a última paragem.  Este edifício serviu de base à construção Casa Branca em Washington DC, pois o Arquiteto que a desenhou foi o Irlandês James Hoban e aqui teve a sua fonte de inspiração.

 

Dublin-Edifício do Parlamento. Serviu de inspiração para construir a Casa Branca

 

Na Irlanda o Futebol Gaélico e o Hurling são os desportos mais populares. O Croke Park é o local mais importante onde as finais destes torneios são jogadas. Tem capacidade para mais de 80.000 espetadores fazendo dele o quarto maior estádio da Europa e o maior que não é usado para futebol. Os adeptos das equipas que se defrontam assistem aos jogos todos juntos e não existem problemas de segurança como no futebol.
Ali também se realizam outros acontecimentos como concertos. Em 2012 o Papa Bento XVI celebrou ali missa.

 

Dublin-Estádio Croke Park-vista das bancadas

 

O Estádio Aviva construído em 2010, com as suas caraterísticas de possuir muito vidro nas fachadas, foi palco da final da Liga Europa de 2011. É casa da Selecção Irlandesa de Râguebi e da Selecção Irlandesa de Futebol. Não foi possível fazer a visita guiada pois era tarde, mas consegui entrar e tirar uma foto no interior.

Dublin-Estádio Aviva-interior bancadas

 

Outrora as equipas jogavam em Lansdowne Road que entretanto foi demolido. A nossa Seleção Nacional na Caminhada para o Euro 1996 realizou ali um dos jogos de qualificação. Perdeu 1-0 e meses depois no antigo Estádio da Luz venceu a Seleção Irlandesa por 3-0 numa noite memorável em que marquei presença e nos garantiu dez anos depois voltar a  participar numa fase final de uma competição importante de futebol sénior. Esse jogo levantou questões de segurança e os fantasmas do hooliganismo de Heysel vieram ao de cima. Mas todos nós concluímos que os Irlandeses são pacíficos e com eles não há dessas coisas, e tudo correu bem para surpresa de todos nós.

 

Dublin-Estádio Aviva

 

Lansdowne Road é agora o nome da estação de comboio suburbano “DART” na qual descemos para visitar o Estádio Aviva. Dublin na sua rede de transportes além das carreiras de autocarro, possui também uma rede de elétricos rápidos “LUAS” o que torna viajar na cidade um prazer.

 

Dublin-Autocarro típico de 2 andares junto a Trinity college

 

Dublin foi uma escolha acertadíssima. Estava na lista para uma curta escapadela desde Lisboa. Será provavelmente uma nova passagem para no futuro conhecer Belfast, a capital da outra Irlanda.

 

Links

voos:A Aerlingus e a Ryanair voam diretamente de Lisboa para Dublin.

Hostel: Escolhi ficar em College street. Um hostel sobretudo económico, bem localizado e com ambiente jovem.

Autocarros: De Dublin para Belfast e para outros locais.

Comboios: De Dublin para Belfast e para outros locais.

Irlanda-Portugal (1995) em Lansdowne Road

Final Liga Europa (2011)

The Wild Rover(No Nay Never) – música tradicional Irlandesa

 

Para alojamento, consulte aqui.

Para programas de viagem, consulte aqui.

 

 

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

SEGURO DE VIAGEM

ARTIGOS DE VIAGEM

PROMOÇÕES DE VIAGEM

RESERVA DE VOOS/ HOTÉIS

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

GRUPO FACEBOOK AMANTES DE VIAGENS