11 Jun

ÁFRICA AUSTRAL EM 20 DIAS

 

África Austral em 20 dias

A África Austral, também conhecida de África Meridional, é a parte sul de África, banhada pelo Oceano Índico na sua costa oriental e pelo Atlântico na costa ocidental.

Formada por 15 países, traçamos um breve roteiro para conhecer alguns destinos, desta vasta área do continente Africano em 20 dias.

Descubra o fascínio da África do Sul, enquanto você percorre as planícies douradas do mundialmente famoso Parque Nacional Kruger e as imponentes Cataratas Victória. Quer se trate de avistar os “Big Five” (elefantes, rinocerontes, búfalos, leopardos e leões), experimentar a vida da aldeia tribal, este passeio de aventura irá preencher as suas memórias com as maravilhas da região a Sul de África.

Do Delta do Okavango às Cataratas Victória. Do Parque Nacional Chobe (Botswana) ao P. Nacional Hwange (Zimbabué) e ao Kruger (África do Sul).

Africa Austral – Tour 20 dias

 

Como chegar: A maioria das linhas aéreas internacionais importantes voam da Europa para Joanesburgo, na África do Sul.

Transporte: Overland em Camião (5 600kms). Viatura adaptada para viagens de longo-curso com cerca de 20 lugares sentados;

Duração: 20 dias;

Alojamento: Parques de Campismo; Hotel em Joanesburgo.

Amantes de Viagens

Africa Austral

 

Actividades incluídas:

África do Sul

Joanesburgo;

Parque Nacional Kruger- Maior variedade de espécies do continente;

Blyde River Canyon- Maior desfiladeiro verde do mundo;

 

Botswana

Safari no Khama Rhino Sanctuary;

Delta do Okavango – Safari em Mokoro (tradicionais canoas);

Nata- Makgadikgadi Salt Plans- Parque natural com salinas numa área de 7000km2;

Safari no Parque Nacional Chobe;

Convívio/jantar com a comunidade Hananwa;

 

Zimbabué

Cataratas Victória;

Safari no Parque Nacional Hwange;

Parque Nacional Matobo.

Amantes de Viagens

Delta do Okavango- Botswana

 

CLIMA

Clima na África do Sul: Geralmente, é quente, seco e ensolarado. As temperaturas diurnas de Inverno rondam os 18ºC, e no Verão, os 28ºC. No Cabo Ocidental, o Verão é seco e o Inverno chuvoso. A província de KwaZulu-Natal é subtropical na costa e pode ser muito quente, tal como a savana em Mpumalanga e o Parque Nacional Kruger. O interior do país é quente, havendo espectaculares trovoadas no Verão, e seco, gelado e ensolarado no Inverno.

Clima no Botswana: O clima oscila entre continental e semi-árido. O Verão é de Outubro a Abril; Dezembro e Janeiro são os meses mais quentes, com temperaturas elevadas. O Inverno, é de Maio a Setembro, seco e com temperaturas que, ocasionalmente nos meses de Junho e Julho, descem abaixo dos 0 graus Célsius durante a noite. A estação das chuvas é de Dezembro a Março. A melhor época para visitar o Botswana é de Abril a Outubro.

Clima no Zimbabué: O Verão é de Outubro a Abril; Dezembro e Janeiro são os meses mais quentes, com temperaturas elevadas. A estação das chuvas é de Dezembro a Março. A melhor época para visitar o Zimbabué é de Abril a Outubro. Neste caso, as temperaturas médias ronda os 25-28ºC e mínimas durante a noite, próximas dos 5ºC (Junho/Julho).

Amantes de Viagens

Safari a pé no Botswana

 

VISTOS

Visto para África do Sul: Os cidadãos de maioria dos países da União Europeia, não necessitam de vistos. Os vistos são válidos por 30 dias e podem estender-se por um total de 3 meses.

Visto para Botswana: Os cidadãos de maioria dos países da União Europeia, não necessitam de vistos. Os vistos são válidos por 30 dias e podem estender-se por um total de 3 meses. Segundo informação que circulava no Botswana, em breve, o visto obtido na fronteira passará a ser pago, tal como ocorre no Zimbabué.

Visto para Zimbabué: Necessário visto para a maioria das nacionalidades. Adquirido à entrada na fronteira. Tem o custo de 30USD para cidadãos portugueses.

Visto para Zimbabué+ Zâmbia (KASA Visa): O Kasa Visa é válido para viajar entre o Zimbabué e a Zâmbia. Para cidadãos portugueses tem o custo de 50USD. Válido por 30 dias no total dos dois países.

Amantes de Viagens

Comunidade local no Botswana

 

Electricidade: 230V-50Hz. As tomadas têm 2 a 3 pinos redondos e achatados.

Moeda: A moeda local é o PULA no Botswana. RAND na África do Sul. DÓLAR americano no Zimbabué. DÓLAR KWAZA na Zâmbia. Devido à situação económica actual do Zimbabué, os multibancos vazios, sendo apenas possível o pagamento por cartões VISA em alguns estabelecimentos e/ou levantamentos em instituições bancárias (limites diários de levantamento em balcão de 100USD). Recomenda-se que leve dólares para o Zimbabué para evitar dificuldades de levantamento.

Vacinas: Os visitantes provenientes de áreas afectadas pela febre-amarela devem contar com um certificado de vacinas válido. Recomenda-se que os visitantes tenham a vacina DTP actualizada (difteria, tétano, tosse convulsa), assim como a vacina da Hepatite A. A profilaxia da Malária é igualmente aconselhada. Antes de efectuar a viagem deverá ir a uma consulta de viajante.

Segurança: Ambos os países são seguros para visitar. Algumas zonas da cidade de Joanesburgo, na África do Sul devem ser evitadas, nomeadamente o centro da cidade, devido a perigos de assaltos.

No caso de optar pela opção de ficar alojado em tendas, deve apenas ficar alojado em parques de campismo com a total segurança. Ao circular nos parques nacionais é proibido sair (mesmo que por breves instantes) da viatura onde circula.  Deverá cumprir os horários dos parques. Aconselhadas visitas com guia ou empresa local.

Fuso horário: África do Sul, Botswana e Zimbabué, pertencem à zona horária GMT+2 (UTC+2), o que significa que, no Verão português, há uma diferença de mais de uma hora relativamente a Portugal e, no Inverno, duas horas.

Amantes de viagens

Acampamento em parques de campismo

 

Itinerário para 20 dias…

 

Dia 1- Cidade de origem/ Joanesburgo (África do Sul)

Viagem da cidade de origem até Joanesburgo- África do Sul, via uma capital europeia.

Recomendamos que devido à segurança na cidade, fique hospedado na área de Rosebank.

Hotel recomendado: Holiday Inn Rosebank.

Amantes de Viagens

Zona de Rosebank- Joanesburgo- África do Sul

 

Amantes de Viagens

Museu do Apartheid- Joanesburgo

 

Dia 2- Joanesburgo- África do Sul

Explore a cidade do ouro, tal como foi considerada Joanesburgo. Para conhecer a cidade, tem a excelente opção de entrar num autocarro turístico “Hop On, Hop Off” e percorrer toda a cidade, subindo ou descendo as vezes que entender durante o percurso delineado.

Poderá visitar o Soweto, cidade a sudoeste de Joanesburgo e que ficou conhecida na época do Apartheid por ser foco de resistência anti-racista e de protestos dos negros contra a política oficial de descriminação racial. No local terá ainda a oportunidade de conhecer a casa de Nélson Mandela.

 

Actividades possíveis:

Apartheid Museum- ZAR75

Gold Reef City and Heritage Mine Tour- ZAR360

Museum Africa- ZAR40

Art Gallery- ZAR60

Bus “Hop On Hop Off”- ZAR190

Bus “Hop On Hop Off” ( Tour cidade + Soweto)- ZAR470

Africa do Sul

Zona comercial de Rosebank- Joanesburgo

 

Amantes de Viagens

Centro de Joanesburgo- Africa do Sul

 

Dia 3- Khama Rhino Sanctuary (Botswana)

Pelo nascer do dia, siga em direcção à fronteira com o Botswana, e viaje até ao Santuário Khama Rhino (aproximadamente 9 horas de viagem em camião). Situado próximo do extremo oposto do deserto do Kalahari, o Santuário Khama Rhino, tem por objectivo a protecção e conservação das populações de espécies de rinoceronte branco e do rinoceronte preto. Neste santuário poderá ainda avistar outros animais, tais como, gnus, zebras, girafas, leopardos ou avestruzes.

Santuário Khama Rhino – Botswana

 

Zebras no Santuário Khama Rhino

 

Dia 4- Maun – Delta do Okavango (Botswana)

Pela manhã deixamos para trás o acampamento situado próximo do Santuário, e seguimos em direcção à cidade de Maun (aproximadamente 8 horas de trajecto) porta de entrada para o maior Delta do Mundo- Delta do Okavango. O rio Okavango, o terceiro mais caudaloso de África, nasce a mais de 800 Km de distância, nas terras altas de Angola e vai descendo calmamente até chegar a desaparecer no deserto do Kalahari, sem nunca chegar ao mar. Esta maravilha natural é formada por diversos canais, lagoas e ilhas que se vão alternando e constituem um grandioso ecossistema único no mundo.

Após chegada, deslocação até ao acampamento nas proximidades de Maun.

Africa Austral

Maun- Botswana

 

Amantes de Viagens

Maun- Botswana

 

Dia 5 e 6- Delta do Okavango

Ao nascer do dia, seguimos para o acampamento situado numa ilha no interior do Delta do Okavango, através de mokoro, as tradicionais canoas.

Nestes dois dias, poderá passear de mokoro, interagir com as comunidades locais, ver hipopótamos de perto, e toda a vida selvagem que vive neste ecossistema único no mundo.

Terá a oportunidade de realizar um safari fotográfico a pé (com um ranger experiente) pelas ilhas do delta, e visualizar animais, tais como gnus, zebras, impalas ou búfalos, e observar ao entardecer a beleza de um pôr-do-sol único!

Botswana

Passeio de Mokoro- Delta do Okavango

 

Botswana

Delta do Okavango

 

Botswana

Pôr-do-Sol- Delta do Okavango

 

Dia 7- Maun (Botswana)

Regresso a Maun, com possibilidade de visitar algumas aldeias e interagir com as comunidades locais.

Aldeia local próximo de Maun- Botswana

 

Botswana

Aldeia local próximo de Maun

 

Dia 8- Nata- Parque Nacional de Makgadikgadi (Botswana)

Ao longo de cerca de 6 horas, viagem até Nata para conhecer o parque nacional de Makgadikgadi.

As salinas inabitadas de Makgadikgadi fazem parte de uma área protegida, que cobre mais de 7000km2. Paisagens absolutamente surpreendentes, onde as secas salinas de inverno se transformam numa vasta zona húmida na temporada das chuvas. As salinas têm muitos sítios pré-históricos importantes e também lagos fósseis, onde ocorrem interessantes achados arqueológicos, que incluem ferramentas de pedra que datam de há 300 000 anos.

Uma vasta área, onde poderá ver as salinas, mas também dunas, penínsulas, ilhas rochosas e áreas desérticas.

Nata

Parque Nacional de Makgadikgadi

 

Botswana

Gnus no Parque Nacional de Makgadikgadi

 

Dia 9- Parque Nacional Chobe (Botswana)

O Parque Nacional Chobe, com uma superfície de 11 700km2, é o segundo maior parque nacional do Botswana. O Parque Nacional abriga algumas das maiores concentrações de animais no continente Africano. Há aproximadamente 60 000 elefantes no parque, calcula-se que é a maior população de elefantes em África.

Botswana

Elefante no Parque Nacional Chobe

 

Botswana

Passeio de barco no Parque Nacional Chobe

 

Dia 10 e 11- Victoria Falls (Zimbabué/Zâmbia)

Após pouco mais de 3 horas de viagem, chegue até uma mais espectaculares vistas de África- AS Cataratas Victória.

As Cataratas Victória (Victoria Falls) são uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo, conhecidas como Mosi-ao-Tunya, que significa “O fumo que troveja”. O rio Zambeze verte as águas caudalosas desde uma altura de 108 metros e uma extensão de 1 700 metros, originando imensas nuvens de água vaporizada. Poderá passear a pé pelas cataratas, floresta tropical e estátua de Livingstone.

As Cataratas formam uma fronteira natural com a Zâmbia, sendo possível realizar passeios até a cidade próxima de Livingstone.

Nestes dois dias, poderá realizar compras de artesanato, visitar a Zâmbia e apreciar os mercados locais, e experimentar as inúmeras actividades opcionais disponíveis.

Victoria Falls

Cataratas Victória- Zimbabué

 

Actividades possíveis (Victoria Falls- Zimbabué):

Flying Fox- USD50

Gorge Swing- USD110

Helicopter flight (12 mins)- USD175

Helicopter flight (25 mins)- USD334

Whitewater rafting (full day)- USD140

Village & township tour- USD50

Táxi na Zâmbia (da fronteira até Livingstone) – 5USD

Zimbabué

Rio Zambeze

 

Livingstone- Zâmbia

 

Dia 12- Parque Nacional Hwange (Zimbabué)

O Parque Nacional Hwange é o maior parque do Zimbabué e um dos maiores de África.

Possui uma área com cerca de 15 000 km2, com 100 espécies de mamíferos e 400 de aves que oferecem a possibilidade de desfrutar da vida selvagem. É conhecido pela população de elefantes, uma das maiores do mundo.

Parque Nacional Hwange

 

Zimbabué

Zebras no Parque Nacional Hwange

 

Leoa no Parque Nacional Hwange

 

Dia 13 e 14- Bulawayo/ Parque Nacional Matobo (Zimbabué)

Após cerca de 6 horas de viagem, chegada à cidade de Bulawayo onde poderá ver diversos edifícios coloniais.

O Parque Nacional Matobo fica nas proximidades e, é um dos principais locais onde se podem avistar populações de rinoceronte branco e do rinoceronte preto. Matobo tem um significado cultural e espiritual significativo para a população local, onde existem diversas cerimónias.

Poderá fazer um safari a pé com guia local, e descobrir pinturas rupestres nas formações rochosas características desta região e observar paisagens fantásticas do topo de algumas dessas formações rochosas.

Pinturas Rupestres no Parque Nacional Matobo

 

Zimbabué

Parque Nacional Matobo

 

Dia 15- Moremi Gorge (Botswana)

Ao inicio da manhã, percorra ao longo de cerca de 6 horas até à fronteira com o Botswana, chegando até Moremi observando pelo caminho as belas paisagens envolventes. Este é um percurso recomendado, face à alternativa directa até à Africa do Sul.

Chegando a Moremi Gorge poderá realizar uma breve caminhada, e ver quedas-de-água.

Moremi Gorge- Botswana

 

Botswana

Moremi Gorge

 

Dia 16- Blouberg (África do Sul)

Após uma breve viagem, atravesse a fronteira até à África do Sul, no sentido de Blouberg na província do Limpopo situada na África do Sul.

Visite algumas tribos locais, entre as quais, uma família Hanawa. Conheça algumas das suas histórias, e passe o dia numa destas comunidades.

Blouberg (África do Sul)

 

Blouberg- Comunidade local

 

Dia 17 e 18- Parque Nacional Kruger (África do Sul)

A chegada ao parque demora cerca de 8 horas de viagem.

O Parque Nacional Kruger é a maior reserva de animais da África do Sul (mais de 500 espécies de aves, 100 espécies de répteis e 150 de mamíferos, onde poderá encontrar os Bif Five. Possibilidade de realizar safaris em 4×4 (diurnos e nocturnos), a pé com um ranger experiente e assistir ao pôr-do-sol, além de outras actividades.

Africa do Sul

Chitas no Parque Nacional Kruger

 

Hipopótamos no Parque Nacional Kruger

 

Dia 19- Blyde River Canyon/Joanesburgo (África do Sul)

Viagem longa de regresso até Joanesburgo, atravessando lugares de beleza impressionante como o caso do Desfiladeiro do Rio Blyde, sendo considerado o terceiro maior desfiladeiro do mundo e uma das principais maravilhas naturais de África.

Africa do Sul

Desfiladeiro do Rio Blyde

 

Desfiladeiro do Rio Blyde

 

Dia 20- Joanesburgo/Cidade de Origem

Neste dia de regresso à sua cidade de origem, e caso o tempo assim o permita, poderá percorrer algumas zonas de Joanesburgo, nomeadamente a zona comercial de Rosebank para algumas compras.

Viagem de regresso à origem.

Para Alojamento em Joanesburgo: Holiday Inn Rosebank  

Joanesburgo- Africa do Sul

 

Joanesburgo- Africa do Sul

 

O que levar:

Passaporte; cartão visa e algum dinheiro (Euros ou Dólares); Mochila de 60L; Saco-cama; cópia do seguro de saúde; almofada de viagem; roupa leve de algodão; agasalhos (noites frias); Lanterna; Corta-vento e/ou impermeável; protector solar; toalha de rosto; toalha de banho; Chinelos; mochila diária; medicamentos; repelente de insectos; garrafa de metal para água; máquina fotográfica e power bank; livro; bloco de apontamentos; roupa neutra para safaris a pé;…

Pôr-do-Sol em África

 

Africa Austral-Sunset

 

Africa Austral – Animais

 

Africa Austral – Rostos

 

-Viagem realizada por João Almeida em Abril/Maio de 2017.

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

ARTIGOS DE VIAGEM

EXPERIÊNCIAS EM PORTUGAL

- Procurar experiências
O que você quer fazer?

PROMOÇÕES DE VIAGEM

Mapa Hoteis em Portugal

bHotel com Piscina Interior pHotel de Luxo rPousada yTermas e SPA gTurismo Rural