9 Fev

PATRIMÓNIO HISTÓRICO DE PORTUGAL

 

Portugal encontra-se dividido administrativamente em 18 distritos, mais 2 regiões autónomas que formam os arquipélagos dos Açores e Madeira.

 

Portugal dispõe de numerosas possibilidades para uma visita a seu gosto. Cidades repletas de património histórico, cidades de fortes tradições, praias, paisagens de montanha e de belos parques naturais. Um mundo de sugestões num país de vasta variedade de motivos que aguardam a sua visita.

O Porto histórico com a sua Torre dos Clérigos e o rio Douro; a Região do Minho com fortes tradições e lugares magníficos; Trás-os-Montes da sua bela gastronomia e aldeias tradicionais; Lisboa com os seus monumentos; o centro com Coimbra e os estudantes; o Alentejo com Beja, Évora ou Estremoz e as planícies; o Algarve com as suas belas praias e campos de golfe; e o Arquipélago da Madeira ou Açores com os seus contrastes e belezas naturais.

Museus no Porto

Ribeira do Porto- Portugal

 

Faça um cruzeiro pelo rio Douro, ou percorra as suas margens num combóio histórico, atravessando o Douro Vinhateiro, a mais antiga região vinícola demarcada do mundo.

Visite Guimarães e seu castelo, berço de Portugal. Em Viana do Castelo suba ao Santuário de Santa Luzia durante as animadas romarias e, em Braga, a cidade dos arcebispos, não perca a Sé mais antiga de Portugal. Pratique desportos radicais em áreas protegidas da Peneda-Gerês, Alvão e Montesinho, ou simplesmente descanse e goze a beleza destes locais. Siga a rota do Vinho Verde e visite Ponte de Lima, Monção e Amarante.

Portugal

Santuário de Santa Luzia- Viana do Castelo

 

Conheça as origens da nacionalidade portuguesa em Guimarães. Braga como  sendo a capital do catolicismo. Barcelos um importante centro de cerâmica. Viana do Castelo pelos seus monumentos e típicas ruas.

Leiria, Batalha, Alcobaça, Fátima, Coimbra uma região de grandes monumentos repletos de história. Albufeira de Castelo de Bode e praias fluviais. A lezíria ribatejana.

As aldeias históricas de Portugal. A Serra da Estrela com 2000 metros de altitude. Trás-os-Montes dos parques naturais e aldeias medievais.

Almeida

Almeida

 

Estuários do rio Tejo e do rio Sado. Sintra romântica de monumentos fabulosos. Cascais e Estoril das praias e glamour. Setúbal e Sesimbra a terra do bom peixe fresco. O Parque Natural da Serra da Arrábida e suas praias.

Das paisagens de planícies alentejanas a perder de vista. Da Barragem do Alqueva. O litoral alentejano e o parque natural do sudoeste alentejano.

O Algarve das praias de areia fina às praias de arribas. Das zonas turísticas de Vilamoura, Quinta do Lago ou Albufeira. Do interior como, Silves, Monchique ou Aljezur. De Lagos, belas praias de grutas e arribas. O Cabo de São Vicento em Sagres. As águas mornas de Tavira ou Monte Gordo.

Praia-da-Marinha - Algarve

Praia da Marinha – Algarve

 

Visite a Ilha de São Miguel, aprecie as suas nascentes vulcânicas, as Lagoas do Fogo e das Sete Cidades, e saboreie um Cozido nas Furnas.

Na Terceira percorra o centro histórico de Angra do Heroísmo.

Suba ao pico da Ilha do Pico, o ponto mais alto de Portugal (2350mts.),  e admire o Pico Vinhateiro.

Aventure-se num passeio de barco para observar as baleias.

No Faial tome um gin tónico na Marina da Horta, ponto de encontro de navegantes de todos os países do mundo.

Arquipélago dos Açores

Parque Terra Nostra- Açores

 

Admire a deslumbrante vegetação da floresta Laurissilva, na Ilha da Madeira, seguindo os caminhos das Levadas. Experimente uma viagem alucinante, descendo do Monte até ao Funchal num carro de vime. Prove as iguarias gastronómicas como as espetadas ou o peixe-espada.

Relaxe num spa, nas piscinas naturais de Porto Moniz, ou no extenso areal dourado da praia da Ilha de Porto Santo.

Leve consigo  um pedaço da Ilha numa garrafa do famoso vinho da Madeira, nas  flores e frutas variadas, ou no artesanato,  como os bordados e vimes.

Ilha da Madeira

Santana- Ilha da Madeira

 

Apresentamos-lhe alguns dos mais emblemáticos monumentos históricos de Portugal:

 

Passeie de bicicleta de montanha pelos caminhos e trilhos da Mata Nacional do Bussaco e aprecie as mais de 700 espécies de árvores trazidas pelos navegadores portugueses.

Fique instalado no  último legado dos Reis de Portugal, o Palace Hotel Bussaco situado na Mata do Bussaco. Um majestoso palácio neomanuelino.

Palace Hotel do Bussaco

 

Visite o Castelo de Guimarães que envoca a lenda e o heroísmo que envolve o início da História do País. Crê-se que o edifício encostado à parte interna da marulha tenha sido o local onde Afonso Henriques nasceu.

Guimarães

 

A Sé Catedral de Braga é de visita fundamental. Do romântico ao gótico, passando pelo barroco, este é o espelho das várias influências que a cidade atravessou desde 1093 até aos dias de hoje.

Braga- Norte de Portugal

Sé de Braga

 

No Santuário do Bom Jesus do Monte a natureza e a mão do Homem coabitam de forma perfeita, numa das manifestações mais impressionantes do barroco europeu

Bom Jesus- Braga

 

A Universidade de Coimbra – Uma das mais antigas Universidades da Europa. Foi fundada em 1290 em Lisboa. Mais tarde, em 1537 foi transferida em definitivo para Coimbra. Na Universidade destacam-se os principais locais:

Porta Férrea e a Torre– Entrada nobre no Pátio da Universidade  (datado de 1634). A Torre histórica com os seus 34 metros de altura é uma das referências;

Biblioteca Joanina– De estilo barroco, construída em 1717 no reinado de D.João V. Salas com paredes cobertas de estantes, em madeiras exóticas de grande beleza;

Capela de São Miguel– Em estilo manuelino surgiu em 1522. Os azulejos da Capela-Mor, o Orgão Barroco, ou o Lampadário de Prata são algumas obras-primas que poderá visualizar no local;

Sala dos Capelos– Foi antiga sala do trono e actualmente é o palco das mais importantes cerimónias académicas.

Prisão Académica- É a única cadeia medieval subsistente em Portugal.

 

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha em Coimbra, foi iniciado em 1286 é monumento nacional, núcleo museulógico e sítio arqueológico. Mandado edificar por vontade da Rainha Santa Isabel  é actualmente o monumento mais importante para o estudo do Gótico em Portugal.

Portugal

Coimbra

 

Capela dos Ossos (Évora) – É um dos mais conhecidos monumentos de Évora, em Portugal. Está situada na Igreja de São Francisco. Foi construída no século XVII por iniciativa de três monges que, dentro do espírito da altura (contra-reforma religiosa, de acordo com as normativas do Concílio de Trento), pretendeu transmitir a mensagem da transitoriedade da vida, tal como se depreende do célebre aviso à entrada: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”.

Alentejo- Portugal

Évora

 

O Templo de Diana, ou Templo Romano é o marco da cidade de Évora. Datado do século I d.C. e é único em Portugal.

Alentejo- Portugal

Templo de Diana- Évora

 

Muralhas de Silves – O castelo de Silves é uma das principais fortificações muçulmanas em Portugal. Principiada a construção nos inícios da dominação islâmica na Península Ibérica, sucederam-se reformulações até ao séc. XI, momento de apogeu de Silves, quando, sob o governo de Al-Mutamid, se torna capital de taifa. Deve datar deste período a configuração geral do perímetro amuralhado que se manteve até hoje.

Castelo de Silves

Castelo de Silves

  

Sé Catedral da Guarda – Construída entre 1390 e 1540, a Sé apresenta uma estrutura gótica e fortificada.

Portugal

Sé da Guarda

 

Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Batalha) – Classificado como Património Mundial pela UNESCO.

Cumprindo um voto de D. João I em função da vitória portuguesa na Batalha de Aljubarrota, em 1385, construiu-se próximo do local onde esta se efectuara. Veio-se a tomar na invocação de Santa Maria Vitória. As obras foram iniciadas em 1387 e terminaram apenas em 1580. Neste período de perto de 200 anos, vários arquitectos, mestres e artífices, ficaram ligados a esta obra, conjugando as tendências do gótico internacional com as do gótico mediterrâneo. A Igreja que constitui a parte mais notável de todo o conjunto, mede 80m de comprimento, por 22 de largura e 32 m de altura.

Junto ao Mosteiro encontra-se a estátua equestre de D. Nuno Álvares Pereira (obra do século XX) que confirma o seu génio militar ao  vencer a Batalha de Aljubarrota, decisiva  na cosolidação da independência portuguesa.

Leiria- Portugal

Mosteiro da Batalha

 

Torre de Belém– Localizada na zona de Belém em Lisboa, é um ex-libris do património cultural português projetado em todo o mundo

Classificada como Monumento Nacional por Decreto de 10 de Janeiro de 1907, é considerada pela UNESCO como Património Cultural de toda a Humanidade desde 1983..

Construída em homenagem ao Santo Patrono de Lisboa, S. Vicente, a Torre de Belém fazia parte de um sistema de defesa tripartida entre o baluarte de Cascais e a fortaleza de S. Sebastião da Caparica, na margem oposta do rio.

A decoração da Torre ostenta a simbologia própria do manuelino – cordas que envolvem o edifício rematando em elegantes nós, esferas armilares, cruzes da Ordem Militar de Cristo e elementos naturalistas.

Foi construída estrategicamente na margem norte do rio Tejo entre 1514 e 1520, sob orientação de Francisco de Arruda, a Torre de Belém é uma das jóias da arquitetura do reinado de D. Manuel I.

Torre de Belém- Lisboa

 

Mosteiro dos Jerónimos- Obra-prima da arquitectura portuguesa do século XVI, classificado como Monumento Nacional desde 1907 e inscrito na lista de Património Mundial da UNESCO desde 1983, o Mosteiro dos Jerónimos situa-se numa das zonas mais qualificadas de Lisboa, um cenário histórico e monumental junto ao rio Tejo onde também marcam forte presença a Torre e o Centro Cultural de Belém.

A sua construção iniciou-se, por iniciativa do rei D. Manuel I, no século XVI e prolongou-se por uma centena de anos.

O Mosteiro simboliza uma época em que Lisboa era a capital cosmopolita de um reino poderoso, no centro do diálogo e do comércio entre a Europa e todos os outros continentes.

O Mosteiro dos Jerónimos é o exemplar mais completo do tão português estilo manuelino, e da simbologia da época das Grandes Navegações Portuguesas dos sécs. XV e XVI.

Portugal

Interior do Mosteiro dos Jerónimos – Lisboa

 

A igreja do Carmo de Lisboa e o Museu Arqueológico do Carmo– A construção da igreja do Carmo remonta ao ano de 1389, impulsionada pelo desejo e devoção religiosa do seu fundador, o Condestável do Reino, D. Nuno Álvares Pereira. Construída sobre a colina fronteira ao castelo de S. Jorge, pela sua grandeza e monumentalidade, concorria com a Sé de Lisboa e com o Convento de S. Francisco da mesma cidade. Desde cedo este espaço religioso foi considerado emblemático da urbe lisboeta e da própria identidade nacional, pelo facto de lhe estar associado o nome de um dos mais famosos heróis portugueses da Idade Média. Ao ter escolhido a Igreja do Carmo para sua sepultura, Nuno Alvares Pereira, marcou, de forma decisiva, toda a história do monumento. Monumento gótico, o Convento recebeu acrescentos alterações ao longo dos tempos, adaptando-se a novos gostos e estilos arquitectónicos e decorativos, transformando-se num dos conventos mais ricos e poderosos de Lisboa. Em 1755, o terramoto que abalou violentamente a cidade, provocou graves danos no edifício, agravados pelo subsequente incêndio que destruiu a quase totalidade do recheio.

Lisboa

Museu Arqueológico do Carmo @credits_José Morais Arnaud

 

O Castelo de São Jorge localiza-se na freguesia de Santa Maria Maior (Castelo), na cidade e concelho de Lisboa, em Portugal. O nome actual deriva da devoção do castelo a São Jorge, santo padroeiro dos cavaleiros e das cruzadas, feita por ordem de D. João I no século XIV.

Ao longo do tempo o castelo, assim como as diversas estruturas militares de Lisboa, foi sendo remodelado, ao ponto de na primeira metade do século XX estar já em avançado estado de ruína. Na década de 1940 foram empreendidas monumentais obras de reconstrução, levantando-se grande parte dos muros e alteando-se muitas das torres.

Portugal

Miradouro do Castelo de S.Jorge – Lisboa

 

Palácio Nacional e Mosteiro de Mafra situado a 28 quilómetros de Lisboa. Simboliza o Portugal do Império construído no início do século XIX.

Convento de Mafra

 

Quinta da Regaleira- É um dos mais surpreendentes monumentos da serra. Da floresta luxuriante emerge um palácio fascinante, entre o neo-gótico, o neo-manuelino e o neo-renascentista, esculpido, no início do século XX.

Portugal

Quinta da Regaleira- Sintra

 

Palácio Nacional de Sintra –  No centro histórico, duas chaminés brancas, cónicas, elevam-se simetricamente: são o Ex-libris da Vila, símbolo do Palácio Nacional de Sintra ou Palácio da Vila. De origem árabe, foi sendo moldado pela reconquista cristã: aos traços mudéjares alaram-se linhas góticas e manuelinas. Único sobrevivente dos paços reais medievais, acolhe um acervo ímpar de azulejaria e hispano-mourisca. É um monumento nacional desde 1910.

Portugal

Palácio da Vila de Sintra

 

Palácio Nacional da Pena- O Palácio NAcional da Pena, expoente máximo da arquitectura romântica, é o sonho tornado realidade de um rei artista, D.Fernando de Saxo-Coburgo-Gotha, consorte de D.Maria II. Numa surpreendente harmonia , convivem, como que ao acaso, estilos tão diferentes como o neo-manuelino, o neo-gótico e o neo-árabe. O interior rivaliza em beleza e opulência. Erguido entre 1839 e 1885, o Palácio Nacional da Pena  é, desde 2007, uma das sete maravilhas de Portugal. Mas, acima de  tudo, uma maravilha que Portugal oferece ao  mundo.

Portugal

Palácio da Pena- Sintra

 

O Forte da Graça em Elvas, uma obra da segunda metade do séc. XVIII, que começou por ser povoada na Idade do Ferro e posteriormente pelos romanos. Em 1370, Catarina Mendes, esposa de Estêvão Vaz da Gama, bisavós do navegador Vasco da Gama, patrocina a construção neste local da Ermida de Nossa Senhora da Graça. Seria uma interessante igreja gótica com um complexo que incluía claustro, cisterna e alguns alojamentos. Esta igreja esteve de pé até 1763, ano em que se inicia a construção do Forte da Graça. No entanto, no séc. XVII, este local estratégico começou a ter função militar.

Portugal

Forte da Graça- Elvas

 

Igreja de São Gonçalo em Amarante –  O Convento foi fundado em 1540, tendo a sua edificação terminado em 1620, nele estando patentes as diversas épocas construtivas.

Portugal

Igreja de S. Gonçalo- Amarante

 

Torre dos Clérigos (Porto)– A Igreja dos Clérigos no seu estilo barroco é um dos símbolos da cidade. A sua Torre pode ser vista através de vários pontos da cidade.

 

Igreja de S.Francisco no Porto– A Igreja de São Francisco é um monumento gótico, com uma excelente decoração barroca no seu interior. Possui a mais bela talha dourada de toda a Europa. A descida às catacumbas é obrigatória.

Museus no Porto

Ribeira do Porto e Torre dos Clérigos

 

 

Convento de Cristo (Tomar) – a sua parte mais antiga é a primitiva igreja que data de final do século XII e no séc.XVI passou a ser a actual capela-mor. Datam da época quinhentista a nave manuelina com o pórtico principal, a sala do capítulo com a sua janela considerada uma das obras-primas do manuelino.

Portugal

Convento de Cristo em Tomar

Castelo dos Templários (Tomar) – O castelo apresenta elementos de arquitectura militar nos estilos românico, gótico e renascentista. Alguns autores apontam a presença de vestígios indicativos de uma estrutura militar anterior, que poderia remontar à época romana e que teria perdurado até à época islâmica, referindo a presença, no aparelho dos muros, de algumas placas decorativas, de cronologia visigótica ou moçárabe, provavelmente oriundas do sítio de Santa Maria dos Olivais, à margem esquerda do rio Nabão.

 

Sé Catedral de Lamego, foi fundada em 1129. É uma catedral gótica, mantém a torre quadrada original, mas o resto da arquitecturareflecte as modificações feitas nos séculos XVI e XVIII, incluindo um claustro renascentista com uma dúzia de arcos bem proporcionados.

 

Santuário de N.Sra. dos Remédios- Lamego (séc.XVIII) – No topo do monte de Santo Estêvão, o santuário é atualmente parte integrante do panorama da cidade à qual está unido por um escadório cenográfico.

Portugal

Santuário de N.Sra. dos Remédios- Lamego

 

Catedral de Viseu (séc.XIII-XIV) – A Catedral apresenta uma variedade de estilos arquitectónicos: românico, gótico e manuelino. O gótico da Sé viseense seguiu as linhas originais, com um corpo de três naves e três tramos, aproximando-se assim de um estilo românico, mais do que gótico, tipicamente espaçoso. No período manuelino, a Sé viseense viria a absorver intervenções de grande qualidade estética, como as típicas abóbadas das naves. O barroco trouxe a este edifício ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor, os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como esta Sé de Viseu se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII.

Portugal

Catedral de Viseu

 

Para  alojamento, consulte aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

João Almeida

Chamo-me João Almeida, moro em Sintra (Portugal), e sou um AMANTE DE VIAGENS. Uma paixão que existe faz longos anos. A minha missão com esta página é de ajudá-lo a realizar o seu próximo destino! Saiba mais sobre mim e sobre o site.

Segue-nos também aqui:

RESERVA DE HOTÉIS

Booking.com

Categorias

SEGURO DE VIAGEM

ARTIGOS DE VIAGEM

PROMOÇÕES DE VIAGEM

RESERVA DE VOOS/ HOTÉIS

RESERVA AUTOMÓVEL

BILHETES PARA ACTIVIDADES

GOOGLE TRANSLATE

AMANTES DE VIAGENS

Grupo nº1 Facebook- Viagens - PORTUGAL

SIGA-NOS NO FLICKR

Mapa Hoteis em Portugal

bHotel com Piscina Interior pHotel de Luxo rPousada yTermas e SPA gTurismo Rural